quinta-feira, 7 de maio de 2009

De onde vem? Pra onde vai?


Somente agora incrédulos amigos, é que os digníssimos Srs. do Tribunal Superior Eleitoral estudam (sim, ainda estão COGITANDO) adotar normas mais duras e por consequência, mais transparentes contra as tidas “doações ocultas” já para as próximas eleições (a se realizar em 2010).


O nobre objetivo é evitar que a destinação de recursos às campanhas seja descaradamente camuflada como “doações” aos partidos políticos e seus representantes. No Brasil, são os partidos que têm (de posse mesmo) eleitores, e não eleitores que têm um partido... uma inversão de valores notável!!!


O que vem acontecendo, é que parte significativa do dinheiro destinado aos candidatos é contabilizada como DOAÇÃO aos partidos. Segundo o jornal Folha de São Paulo, com dados levantados perante a Justiça Eleitoral, o total de doações “ocultas” chega perto da cifra de 260 milhões de reais!!!!!!!


Para tentar deixar menos escandaloso, obviamente, o TST ditará obrigatoriedade de abertura e utilização de uma conta bancária específica para receber e repassar as supostas doações às campanhas. OBVIAMENTE e não sei o porquê de somente fazer isso só agora, conhecer o vínculo entre candidatos e seus apoiadores é ultra saudável para isso que apelidamos atualmente de Democracia!.


Quem acha que o tempo do Coronelismo já passou, hora de rever alguns conceitos... rs... interesses obscuros, obras com interesse em determinados municípios/cidade... não acontecem à toa!.


Infelizmente, só isso não vai bastar. Vincular as doações a uma conta específica no banco não será o suficiente para se acabar com os desvios... ora, ora... trata-se do Brasil, e não da Noruega! ¬¬.


É mais do que necessário ampliar a transparência sobre as doações!.


Porque vocês acham que os partidos demoram tanto para prestar contas quando diante de uma solicitação? rs... Tempo hábil para as manipulações (lê-se MUTRETAS mesmo...). Até onde sei, os candidatos, logo após eleitos, já precisam abrir suas contas, porém, e misteriosamente, os partidos tem até o dia 30 de Abril de cada ano vigente para fazerem o mesmo!.


RAIOS! Estamos na era da internet ou não? Porque não se utilizam desse meio para registrar com rapidez as doações? Evitar-se-ia assim, as manobras contábeis; maneira mais eficiente é desnecessária diante de um procedimento simplista como esse.


Bom, pra não ser negativo ao extremo com esse governo Tupiniquim, digo que há méritos para essa norma em estudo. E uma das suas, se não sua maior contribuição, será restringir doações ilegais, feitas por meios das mundialmente famosas brechas na Legislação. Incrível, leis brasileiras foram copiadas por inúmeros países, são ótimas leis, porém, não são aplicadas à risca... esse é o problema! Para cada lei, existe um subterfúgio...


Um caso gritante e não menos importante, são os dos recursos advindos de ONGs e de entidades que recebem verbas públicas – que NATURALMENTE são vedados aos candidatos... O projeto em questão, pretende estender também a proibição aos partidos políticos (já não sem tempo).


Agora é esperar, pra ver se a pizza será de 4 queijos ou se vai pra frente e diminui a safadeza!. Acabar que é bom, não acaba... mas diminuir já é alguma coisa!

Guttwein, T.

1 Opiniões:

Daniel L disse...

Isso tem jeito de abraço de afogado de algum político que viu diminuir sua verba.

Não que seja isso que tenha ocorrido... mas que está estranho está. Afinal, parece algo a favor do povo.

Medo.