terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Holocausto Social


Você já sentiu peso na consciência? Eu já conhecia o remorso, por causa de outras situações. Mas agora, por se tratar de algo um pouco mais sério, acho que é peso na consciência mesmo... Deito na cama e por mais que não queira, o “assunto” fica martelando na minha cabeça, me impelindo a tomar uma providência. Uma que eu considere moralmente certa pelo menos...

Ser faxineiro em aeroporto não é tarefa das mais agradáveis. Fato. Mas nem por isso deixo de me orgulhar de minha função. Participo da engrenagem da sociedade com o papel que está a minha altura. A vida é assim...

Ao menos foi esse (o papel) que me foi concedido na entrevista de emprego. Trinta e sete anos, analfabeto... não posso exigir muita coisa mesmo...

Estando “confinado” quase que integralmente a minha jornada inteira de trabalho nesse espaço, acabo ouvindo muita coisa. Desde conversas informais, relatos de traições, muita política, futebol, etc. Fico portanto, sabendo de tudo um pouco sem ter necessariamente que saber ler um jornal. Agora, quanto a integridade das informações...

Um exemplo de política; Judeus que passam por aqui, criticam demais um tal de Mahmoud Ahmadinejad, presidente do Irã. Mas é de se pensar. Só porque o homem não acredita no chamado Holocausto, é de se imaginar que os judeus pouco simpáticos seriam para com esse figurão... Massacres na Palestina (eles, os judeus) pouco se referem, e porque não é mesmo? Cada qual sabe onde seu calo dói, essa que é a verdade.

Dilema moral, eis o que vivo agora... semana passada, um figurão desses ,que sequer olham na sua cara, devido a sua posição social ser taxada por ele, como superior, entrou aqui no banheiro e esqueceu sua pasta dentro de um dos boxes privativos. Na hora eu não percebi, mas lembrei há quem pertencia. No interesse de achar um documento de identificação dentro da pasta, para minha surpresa, me deparo com muitas notas. Mas não eram “notas brasileiras”, eram de um cor esverdeada, eram dólares! Uma pasta recheada de dólares!

Na hora, confesso que o “demo” falou, e falou alto dentro da minha cabeça. Tamanho volume de dinheiro ajeitaria por completo minha vida. Meus filhos teriam os tão sonhados estudos, poderia dar um padrão de vida digno para minha mulher, viajar pelo Brasil afora... enfim. Viver.

Mas só de pensar que se isso acontecesse comigo, se eu tivesse perdido a maleta... lágrimas já ameaçaram cair pelo meu rosto. O que fazer Senhor?

No dia seguinte, na porta do shopping, percebo um aviso colado e peço para um amigo de trabalho lê-lo para mim: Procura-se maleta executiva, paga-se bem. E lá estava a cara do dono lateralmente ao anuncio...

Já na minha rotina diária, por volta de meio-dia, eis que o tal “figurão” entra novamente no banheiro, desta vez, de mãos abanando. Criei coragem e puxei assunto, perguntando se ele realmente era o dono da maleta desaparecida. Após confirmação, perguntei, na lata:


- Escuta, com sinceridade, independente do que tenha dentro, se fosse VOCÊ que tivesse achado a maleta, VOCÊ devolveria?

Ficou me encarando por um longo período, meio que digerindo e confabulando uma resposta e soltou:

- Não, e creio que quem achou não vai devolver também. Estamos no Brasil, um país de mortos de fome, desonestos, corruptos... o país do mensalão! Mas o que um pobre coitado como você sabe dessas coisas não é mesmo? Faxineiro...


Aquele dinheiro que a principio parecia ser solução, agora era um peso na minha vida. Uma repulsa sem fim me invadiu... e confesso que deu vontade até de queimá-lo, só para fazer desgraça com o tal “doutor”. Mas isso seria muito baixo, mais baixo do que a atitude dele para comigo...

No fim do expediente, antes de ir embora, passei na administração do shopping e entreguei a maleta. Coloquei apenas um bilhete no seu interior, bilhete esse que um amigo teve que escrever para mim...

- Caro doutor, honestidade ainda existe nesse país, e o primeiro exemplo quem tem que dar somos nós mesmos. Fazer a nossa parte. É preferível deitar com a cabeça tranqüila no travesseiro, do que desfrutar de algo que não lhe é digno. Reflita nas suas atitudes e naquilo que fala para aqueles que têm posição trabalhista/social menor do que a sua. Esse Holocausto Social é mais tênue do que parece. Um dia no cume, outro dia no abismo, nunca se esqueça! Assinado, faxineiro.

Hoje a televisão veio até o shopping me procurar, inclusive o “doutor”, para me oferecer uma recompensa pela devolução, mas neguei atenção para ambos. “Confete” por ter feito minha obrigação eu dispenso...agora, um pouco mais de respeito e consideração, isso sim, é sempre bem vindo!

Guttwein, T.

52 Opiniões:

Luiz Reis disse...

O que não podemos é perder a fé no ser humano e a coragem de ser honestos!

kbritovb disse...

sensacional mano
levantei pra aplaudir de vdd

love ROCK disse...

Mas faxineiro de aeroporto!

Vc não podia ter encontrado uma profissão menos degradante como traficante, deputado ou sequestrador?

affffffffff

Com relação aos judeus, eles não são os únicos a usufruirem da hipocresia. Tbm é previlégio dos católicos...

abraço

desvinculos disse...

O mundo sempre foi e sempre será corruptível, só depende do valor, não dos valores, do valor $$$

Marido Sanduíche disse...

Estamos condicionado socialmente, pois o que nós rege são as relações econômicas, o maniqueismo entre outros paradigmas psicosociais.
Parabéns mais uma vez
Abraços

FelipeFontana. disse...

belíssimo texto!

Evandro disse...

É , trocamos as desculpas, raças, nacionalidades, religiões ou convicções politicas são todas a mesma coisa : desculpas que o ser humano usa para subjulgar o outro.

Atualmente, este subjulgo é feito via status social, aproveitando o momento em que o que vale é o que se tem e não o que se faz.

Abraço, ótimo blog

http://celulanerd.blogspot.com/2009/12/promocao-concorra-um-livro-simbolo.html

Inez disse...

Essa crônica é demais!
Essa honestidade do faxineiro deveria ser encontrada em todos, principalmente nos políticos.

laisa disse...

CACETE!!!!!!!!!!!!!!

Boa demais... amei por td, e ainda mais por se tratar da honestidade de pessoas que trabalham o dia todo limpando a sujeira dos outros (literalmente)!!!!

O "faxineiro" não lavou apenas o banheiro akele dia, lavou a alma dos brasileiros que ainda tem uma imagem deplorável lá fora!!!

bão demais msm!!!

Escritora X, disse...

AS pessoas costumam confundir aparência, status com dignidade. Como se ela fosse algo anexado nas contas bancárias.
Belo texto (:

Nasck disse...

Algumas pessoas pensam realmente que tudo está perdido, porém, ainda existem pessoas honestas e com caráter digno independente da posição social/cultura. Já vi um caso parecido.

Sampaiorama disse...

A hipocrisia é uma constante no ser humano, independentemente de crenças e outras particularidades. Otimo texto e blog.

Leonardo Ramos disse...

Muito bom o texto!
Nos faz pensar no que realmente vale a pena...

abraços!

Mattheus Rocha disse...

Olá. Vim retribuir a visita. Gostei muito do Blog. Estão de parabéns.

Um abraço !!

Andreia B. disse...

Ótimo texto ! Pois é ... Infelizmente as pessoas, em sua maioria, procuram julgar as outras pelas tarefas executadas no trabalho, pelo salário, classe social... mas, esquecem que muitas vezes a educação doméstica consegue ser superior as adversidades sociais e econoicas e, bons cidadãos são formados em meio á tanta corrupção e sujeira.

Feliz 2010 !

Edu Chaves disse...

Ótimo texto! E o personagem fez bem, em devolver o dinheiro. Honestidade sempre!
abraços

Vini e Carol disse...

Muito boa sua crônica. As pessoas usam de suas palavras de sua posição social como poder perante as outras, até que um dia acontece algo que a faz perceber tamanha arrogância.

Beijos, Carol.

Blog Schraubles!

Sampaiorama disse...

Ja tinha comentado antes, mas vou indicar pros meus amigls...otimo mesmo.

http://www.surupanganews.blogspot.com/

Pobre esponja disse...

As pessoas que julguem. Que por dentro queiram minha morte. Mas , por fora, julgue, se cair em um caso de racismo (exemplo) é outra coisa: aí ela que arque. As pessoas mais humildes, muitas vezes, se colocam inferiores; o importante é o julgamento que fazemos de nós. Creio nisso.


abç
Pobre Esponja

Marco Jr. disse...

Gostei do seu blog.Ja esta no favoritos ;D

Benhur disse...

Pior que o mundo tá cheio de pessoas imbecis que menosprezam os outros pelo emprego que têm ou classe social a que pertencem. Deve ter sido difícil tomar a decisão certa, não sei se eu faria o mesmo.

Espaçoso disse...

Muito bom seu texto cara realmente um excelente pensamento,muito bem escrito.Abraço

Marco Jr. disse...

da uma força aee...

http://positividadepublica.blogspot.com

Fernanda Santiago Valente disse...

amei a cronica. Ainda existem pessoas honestas, são poucas, mas existem. Aqui em Santos uma moça saiu na tv por ter devolvido um papelote de dinheiro... ah. estão filmando gente honesta por aí. rs está em falta!

Marcus disse...

ainda bem que existe pessoas honesta ainda, posso estar enganado, mas a maioria são pessoas pobres. Infelismente tem pessoas que não respeitam essas pessoas ainda. =/

esdras b disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
esdras b disse...

Isso tudo é mto bonito na teoria. De uns tempos pra cá tenho mudado minha opinião em relação a honestidade, dignidade, integridade, etc.
Chega de hipocrisia e falsos moralismos. Se achasse uma maleta dessas pensaria muuuuuuito antes de entregar ou não.

Gutt e Ariane disse...

Justamente ESDRAS, a intenção com essa postagem é basicamente essa; Forçar a reflexão sobre até que ponto vale a pena ser honesto, num país onde, quem age assim, é taxado como idiota! ¬¬

Mandy disse...

Infelizmente não podemos mudar o mundo e retirar qualquer espécie de preconceito que exista nele.
Só podemos continuar a seguir em frente com a cabeça erguida e com dignidade!
Lembrando que para sermos respeitados, primeiro devemos respeitar o próximo!

Feliz ano novo para vocês!!!
BjO

Paty disse...

muito bom. eu com certeza devolveria a maleta, não me faria bem pegá-la, me colocaria no lugar da pessoa. agora o cara foi muito imbecil, neste caso ia me dar uma raiva, vontade de jogar longe como vc falou.

Gabriel Pozzi disse...

Perfeito. Leio muita coisa na blogosfera, e principalmente fora dela, seu texto é incrível, conseguiu me prender de verdade na história...
Não vou negar que já vi textos parecidos para tentar passar a memsa mensagem, aquela que exalta a honestidade e nos faz refletir o quão boa é essa ação. No entanto, seu texto se destacou muito pra mim, ele é carregado de emoção, é bem amarrado, é muito bem escrito!
Parabéns pelo texto.

Coloquei seu blog em minha barra de "blogs favoritos", pois voltarei aqui mais vezes, acho que não vou me decepcionar com outras postagens! =]

http://songsweetsong.blogspot.com/

Carlos Gregorio Junior disse...

Isso que vc descreveu ae sempre existiu parceiro. Desde a pré-historia o Homem tem algum tipo de preeconceito para com o outro. Se na Pré-História tinhamos o homem tratando muito mal a sua mulher, hoje temos isso e muito mais. Racismo, agressao a menores são alguns exemplos.

Recentemente ocorreu esse caso de Salvador, que o pai enfiou as agulhas no Filho;
Lamentáve

elano sudario bezera disse...

Bela conclusão para um texto reflexivo.

Cuchila blogspot disse...

legal...demorei pra comenta pq o post e enorme

Leonardo Pinheiro disse...

Algumas pessoas que conquistaram grandes coisas na vida, cometem um erro muito grande, achando que pobreza é sinal de desonestidade, eles acham que a pessoa por ser pobre, querem crescer com o que não lhe pertence, as vezes se esquecem de onde vieram, mas é muito bom saber, que tem pessoas iguais esse faxineiro, que mostra que ainda há pessoas honestas no nosso Brasil.
um grande abraço, e se puder, visite o meu, gostei do seu, estou seguindo, e serei um frequentados, de seus textos.

Paloma Peglow disse...

muito show o post,eu espero seruma dra.,mas sempre irei tratar o proximo iqual a mim,ninguém émelhor que ninguém..e varias pessoas pensam que o mundo já esta perdido,que todos são iquais e por isso tee ser iqual...mas a honestidade ainda existe,raramente,mas existe :)

Luiz Reis disse...

Bela conclusão para um texto reflexivo.(2)

Diih disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
chris disse...

Parabens pelo texto,achei que esta evoluindo bastante, principalmente na escrita, redação...
a questao moral é realemnte interessante, sugiro que veja os filmes " crimes e pecados " e " match point" do woody allen, dois filmes que discutem a morla, a culpa, o castigo ( ou nao) aqueles que realizam atos moralmente reprovaveis...
parabens continue trabalhando, e aprimorando seu texto...
Ibere

Bruno Costa disse...

Interessante é que cada qual julga o que é justo ou injusto à sua própria maneira. Enquanto isso, a gente tenta tirar a barriga da miséria... mas afinal, a moral é burguesa mesmo...

Bruno A. disse...

Para se devolver ou não teria que se avaliar toda a situação. Se estivesse na situação do homem, eu não devolveria, principalmente por causa da afirmação do outro. Aquele dinheiro não faria falta para ele, e eu precisaria muito daquele dinheiro, a afirmação dele teria me revoltado, e eu não estaria roubando, eu estaria aproveitando uma oportunidade. Aí é onde pode se aplicar a afirmação: "achado não é roubado".

Vanessa Lee disse...

Honestidade como forma de protesto.... interessante.
Mas com essa eloqüência e vocabulário, ficou difícil de acreditar que o faxineiro seja analfabeto. Não que um analfabeto não tenha crítica social. Mas nesses anos que trabalho com alfabetização de adultos, nunca encontrei alguém com a crítica nessa complexidade. A expressão clara e organizada do pensamento é resultado de leituras e debates reflexivos.

Olga; disse...

Muito bom o blog. O texto tem um peso politiamente falando muito bom, e retrata de forma bem parcial (já que o narrador é em 1° pessoa) a realidade da maior parte da população brasileira!
Muito bom teu texto, de verdade.

beijo.

garotadeopiniao disse...

Tem mt gente honesta no nosso país, mas as pessoas que devem dar o exemplo não possuem essa obrigação (considero honestidade obrigação e não qualidade) ... então não confiamos mais uns nos outros para nossa própria segurança, mas isso não significa que temos que deixar de ser honestos.

Fabiana Folly disse...

Esse texto é muito foda! Nos faz pensar quem realmente somos e quem queremos demonstrar ser... Já houve muitos casos como esse e sempre quem devolve precisa muito do dinheiro... Não sei, já passei tanta coisa na minha vida, já levei tanta porrada da mesma que talvez não devolveria! Foda-se a honestidade, nesse caso nem vale a pena já que o dono do dinheiro é um descrente, frio e racionalista.
Melhor parar de escrever senão não paro.
Abraços!

Rogerio disse...

senti remorso so sentimos se fizermos realmente algo de ruim...acho que todos um dia ja sentimos...

Avassaladoras Rio disse...

Querido amigo avassalador...
Nada contra a imagem do faxineiro honesto ... me lembro da passagem biblica que diz algo ... é mais facil passar um camelo pelo buracode uma agulha, que um rico entrar no ceu... e patatie patata....Mas... vamos ser realistas... No mundo real, nosso faxineiro devolveria o dinheiro e ficaria rico com entrevistas na Ophrah e no fantastico... receberia bolsas de estudos para filhos, casa mobiliada pelo Luciano Hulk .... e seria um exemplo para que todos os outros faxineiros se naturalizassem no lugar do excluido honesto herdeiro do ceu da honestidade.

Cuchila blogspot disse...

ha acho que qualquer emprego é justo e digno basta lembrar que eta trabalhando neh?!
poderia estar roubando,drogando ou se prostituindo
mas nao vc esta trabalhando!

Millena Blogueira disse...

Vivemos num holocausto social, mas poucas pessoas tomaram consciência disso.

João Benedito disse...

Ótimo texto!
isso mostra que, em grande parte das ocasiões, os que estão "por cima" são aqueles que realmente desconhecem a honestidade!
E isso é facilmente comprovado ao se assistir os noticiários na TV!
E depois ainda zombam dos menos favorecidos...tsc tsc...Lamentável!

Abraços!
http://cenasdavida.wordpress.com/
;)

Arlan Souza disse...

Seus texto são como um sanday (sorvete)
Misturados, recheados de diversas iguarias, que somados tornan-se completos e totalmente degustáveis.
Parabéns.

Se POSSÍVEL PASSA NO MEU BLOG, TÔ COMEÇANDO UM CONTO, QUERIA UM OLHAR MAIS PROFISSIONAL.

http://arlansouza6.blogspot.com/

Allan Azevedo disse...

excelente o material do seu blog viu, parabens. abraços