quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

You may say, I´m a crazy...


Como ele pode ser hipócrita dessa forma? Não consigo entende-lo! Nada justifica isso, absolutamente nada! Transmite ao mundo uma mensagem, mas não é isso que vejo nessa revista; Essa vida milionária que ele leva. Isso é uma traição ao idealismo e não ficará impune. Não mesmo.

Vou começar descobrindo seus horários, quando sai, quando volta, onde vai, com quem. Não haverá escapatória. Ele não merece fazer parte do grupo, é um farsante! Será que só eu, na face da terra consigo enxergar isso?

O fato é que, dessa minha vida, ninguém nunca reparou em mim, ao menos não como eu gostaria. Mas isso vai mudar. Basta cumprir essa missão que acabei de estabelecer e serei reconhecido por todos, ficarei mais do que famoso! Tanto é que, já pedi demissão do trabalho justamente para me dedicar a isso.

Tem um livro que eu sempre leio, e falo sempre, porque leio e releio com uma freqüência talvez até fora do normal, se chama O Apanhador no Campo de Centeio. É fantástico! Uma história sem igual. O tal Holden, personagem principal da história, assim como eu, não suporta falsidade e por isso me identifico tanto com ele.

É chegado o dia. Ele esta para chegar em casa. Quando atravessa a rua, logo aperto o passo, para não perde-lo de vista. Assim que me aproximo, reparo no relógio, quase 23:00hs, o edifício chamava-se Dakota. Em mãos, trago apenas meu revolver calibre 38. O vinil Double Fantasy, que ele havia autografado dias antes, resolvi deixar em casa.
Quando ele estava prestes a entrar em casa, terminando de subir as escadarias do edifício, o chamei, e agradeci o autografo dado a mim anteriormente. Ele olhou para trás e acenou, disse-me que não havia por onde.Virou de costas e seguiria seu caminho.

Seguiria, pois saquei meu revolver e desferi cinco tiros certeiros em suas costas. Hoje deixei de ser um anônimo.Cumpri meu papel.
---------------------------------------------------------------------------------------------------------
Mark David Chapman, assassinou John Lenon no dia 8 de Dezembro de 1980. Cumpre prisão perpétua desde então...
---------------------------------------------------------------------------------------------------------
Guttwein, T.

Além do que se vê...

Nossas postagens via FEED no seu email!

54 Opiniões:

Esther Saldanha disse...

Acho realmente fascinante ler relatos dessas mentes insanas e perturbadas.
Embora seja lamentável que isso exista, na verdade, acho que o que mais falta à essas pessoas é amor próprio.

♰'Verônica Barboza disse...

Eis, uma de varias histórias fascinantes e tristes...

Uma frase do próprio Mark, que marco e eu não esqueço é a seguinte:

"Parte de mim é o Demônio..."

Tatiane Rosa disse...

Muito intrigante essa história,e vejo uma evolução fantástica em seus textos...

Henrique Alvez disse...

O impulso é odiá-lo,de verdade, afinal uma parte da espinha dorsal da humanidade se foi com lennon, exemplo de ser humano....mas sabe, lendo esse texto, vendo como esse homem( o que o matou) era dono de uma mente desequilibrada, já me impulsiono à compaixão.

Léo disse...

Seus textos continuam otimos, faz tempo que não aparecia aqui.

Melhore sempre!

Abraço

http://eitavidameu.blogspot.com/

Marcus disse...

Isso que é ter inveja de verdade, esse cara ficou famoso, mas ser famoso por isso não adiantou em nada!

Lôoh Toledo disse...

O grande Lenon, se foi e deixou em nós, grades marcas!

mas e incrível ver esses relatos, chega ser estridente e horripilantemente, mas ao mesmo tempo fascinante *-*

Rafaelle Melo. disse...

Não sei se esse texto é autoral, mas se foi devo meus sinceros parabéns!

Estigante, envolvente e que nos faz repensar algumas atitudes modernas ...


Estarei seguindo vcs, na ânsia de sempre encontrar boas reflexões!!

Fabíola Oliveira disse...

De antemão, gostaria de dizer que adorei o template do Blog. Não sei por que, mas ele me passa uma sensação de aconchego esse template. Gostei mesmo! Também adorei o texto. Ele é interessante, sobretudo porque, do meio para o final, comecei a desconfiar que ele pudesse ter sido escrito pela pessoa que assassinou, friamente, um dos maiores nomes da música internacional.

A mente da gente é algo, realmente, engraçado. O que se passou na mente desse rapaz para ele ter agido dessa maneira? Pelo que eu entendi o motivo teria sido uma suposta falsidade atraibuída à personalidade da vítima. Que loucura!

João Victor Borges disse...

não acreditava enquanto lia que alguém no mundo teve a ideia de escrever sobre isso! :o

caraca, e além do mais o texto ficou perfeito, narração em total sincronia com aquele toque de espírito.

sério, vou seguir.
parabéns.

LawlietShoujo disse...

Cara, me arrepiei o_o
Quando eu li da primeira vez, não entendi bem, mas no final quando fala sobre o assassinato do Lennon eu reli e achei impressionante. ♥
Muito bom o_o
Bjs bjs

Fernanda Pessanha disse...

Respondendo sua pergunta você não está louca não, eu estava procurando figuras para por nos textos e vi que o CDZ tinha haver com mitologia grega, então peguei algumas fotos, mas eu nunca vi o desenho nem nada (eu acho que é desenho).

João Gabriel Pontes disse...

Engraçado...
eu não gosto de "O Apanhador no Campo de Centeio"...

bianca disse...

Nunca li esse livro, mas deve ser legal. Gostei do texto, mentes doentias também me deixam curiosa!

Giuliano Marley disse...

Uau, fascinante. O jeito que entra na mente do assassino e descreve com fatos reunidos gerou uma leitura gostosa. Não foi surpreendente, a imagem foi um spoiler... Que seja! Nota dez!


_____
http://atestadopedante.blogspot.com/

Arash Gitzcam disse...

Mataram o John antes de crucificarem ele como ele tinha medo de acontecer uhasuh...

Melisseira (♥) disse...

nao entendi muito bem (burrinha.com)mas pelo que entendi ele tinha inveja do homem famoso e decidiu mata-lo para ser tão famoso quanto ele, Abandonou até o trabalho.

Paty disse...

muito interessante poder conhecer o que este maluco pensava... mas não consigo ter compaixão, tenho raiva... não consigo entender porque tamanha inveja, o que leva alguém a fazer isso, tirar a vida de outra pessoa, de um ídolo... ninguém tem esse direito por isso sinto raiva, acho que ele tem que apodrecer na prisão.

Jim Anderson disse...

preciso comprar esse livro um dia

baobah disse...

Assim como quem compra uma bala no supermercado ele privou o mundo de um dos caras mais fantásticos da música, posso dizer isso pois sou fã dele mas todos devem concordar comigo que foi algo terrivel sim.

Atanervo disse...

Que loucura, o que a inveja não faz?

Até onde pode chegar a vontade de uma pessoa?

Fiquei espantada!

BeijoS

ALIMAC disse...

Eu lembro de qdo li O Apanhador no Campo de Centeio. tava numa época PÉSSIMA da minha vida, mts coisas que eu pensava e sentia se juntaram, e não foi muito bom, não foi uma época feliz. Eu me sentia muito como o Holden. As vezes eu penso na relação do Holden com os irmãos, e lembro mto da minha com o meu irmão que me ajudou a enxergar mts coisas boas, e sair daquele marasmo, daquele enjoo que vinha da alma,mas que apesar de superado, deixou marcas visiveis.

www.teoria-do-playmobil.blogspot.com

Blog do Camelo disse...

Pultz, muito bom, a morte dele chocou o mundo do rock e o planeta tbém ... o relato então impressiona pela frieza e riqueza de detalhes ...gostei mesmo ... convido-o a nos visitar sempre que puder/quiser ... um grande abraço e um bom carnaval pra vc

esdras b disse...

Assassinatos como esses são sempre tão repulsivos e revoltantes. Não entendo pra que relembrar, já faz tanto tempo, isso só serve pra despertar uma revolta já adormecida que só nos faz mal.

Roberto disse...

Parabéns pelo blog, muito bom.Adoro o John.
Dei meu voto no central blog.
.
.
Visite o meu :
http://www.mundo4rodas.blogspot.com/
Se possivel vote no central blog
Abraço

Fagnão! xD disse...

Caramba que mente doentia!

E Imagine só... coitado, matar justo quem velho?

justo ELE!!!

mas acredito que relembrar é sempre muito bom, só pra não pararmos de ficar espertos pois pessoas assim aparecem frequentemente, e não podemos deixar frestas abertas pra que elas venham chegando devagarinho e nos ataquem pelas costas sem que percebamos!

http://popundergroundofgod.blogspot.com/

Silvana Persan disse...

a linha que separa a paixão da insanidade é fina e transparente, nem sempre é perceptível. talvez por isso haja tantos crimes passionais por aí.
matar um ídolo pode ser uma forma de matar a si mesmo. uma obseção doentia, é bem vdd... talvez o doidão tenha levado muito a sério o título daquela música dos Betles "happiness is warm gun" (ou é apenas mais uma grande ironia da vida).

DanG disse...

É sinistro ver até onde uma pessoa vai quando "gosta" de outra ou é um "fã".

degaragem disse...

Mais um texto se indentificando com o personagem, vejo que é algo que tu gosta. Não costumava ler textos teus assim, mas é o segundo já.

O último foi o do Bandido da Luz Vermelha, eu vi o filme do Mark Chapman, já conhecia a história.. mas nao tinha vista por esse lado.. como 'traição do movimento'.

Tu tem me surpreendido.

Bruno (Binão) disse...

Quando mark matou Lennon o mund odeve ter ficado totalmente chocado

Neurotic StrangerBlood disse...

Li o texto tentando descobrir quem era o traidor. Pensei em um político corrupto, quando descobri que se tratava do J. Lennon fiquei chocado. A mentalidade do assassíno, dizendo baseadamente em seu texto é bem pobre. Ele não consegue entender como funciona o sistema.

Fernanda Pessanha disse...

Impressionante.

Guilherme Bayara disse...

Fiz o mesmo que o Neurotic StrangerBlood, fiquei tentando imaginar quem era e tive os mesmo palpites. E também ao descobrir que se tratava de John Lenon fiquei chocado.

Muito bom o texto e um ótimo retrato desta mente doentia.

Lenon foi um grande ser humano e a sua morte foi umas das maiores perdas do século 20.

Infelizmente neste mundo existem milhares de pessoas com mentes semelhantes a de Mark, em todos os níveis. Desde a pessoa que apenas reclama de fatos, tendo o mesmo ponto de vista de Mark, até aqueles como o próprio que acabam cometendo loucuras.

Muito bom o texto. Eu realmente adorei. E admito que acabei de colocar imagine pra tocar, a música me veio instantaneamente na cabeça e agora com certeza escutarei mais Beatles hoje do que normalmente escuto. XD

S.Santiago disse...

booom

adolecente em stress disse...

Adorei o blog o texto é incrivel

Rodz Online disse...

Texto maravilhoso, brother.
Chapman tem mesmo uma mente insana!!!

embaixodocobertor disse...

Adoreei a historia. Tou seguindo o blog.
hauhauhuaua Paola é demais ^^,
Obg pelo comentario e por nos seguir.
By: Laura

Rogerio disse...

isso pq o cara era fã....uma storia triste...coisas que acontece na vida;;;que não era para acontecer,,,

kbritovb disse...

prefiro a versão do bola do panico
o cara falo e ae john lenon
e ae amigo
PAH mato
hahaha

eu... disse...

adorei... mais confesso q boiei un poquin


http://drehluvz.blogspot.com/

Ol.ga; disse...

Muito bom o texto. É em primeira pessoa e na versão do David. Sabe, sempre pensei que pessoas como ele matam quem na verdade mais invejam, e o fazem na tentativa de serem famosos. E por fim, o Lennon será sempre o Lennon, e o David continua não sendo ninguém.

Se tiver um tempinho passa lá: http://blog-aovento.blogspot.com

;*

Raíssa Christini disse...

gostei. Foi no mínimo interessante ler a história por outra optica. Engraçado que conforme eu lia eu me inflenciava. sei lá, meio doido.

seu texto?

www.raissachristini.blogspot.com

blog disse...

E o Chapman nem sabia, de fato, quem era Salinger ou o que significavam as palavras de Holden Caufield. Tanto que, num acesso de insanidade, tentou conectar sua loucura à iconoclastia do personagem central. Se ele tivesse lido "Raise High the Roofbean, Carpenters & Seimour, an Introduction", faria mais sentido.

Enfim, um idiota. Pena que um idiota perigoso.

Ipsis Litteris

Fagnão! xD disse...

o pior de tudo é que muitas dessas pessoas se consideram normais bagaraio... e em inúmeras vezes soltam aquela frase de pirado: eu fiz isso por amor!


ou então: eu fiz isso para o bem dele(a)

essas coisas são lamentáveis amigo!! dá até dó!!

http://www.popundergroundofgod.blogspot.com/

mulherices disse...

Eu me lembro dessa data, 08 de dezembro de 1980, mas na época não alcançava a dimensão do fato.

Fui gostar dos Beatles uns anos mais tarde e passei a lamentar, como tanta gente, que o ato desse lunático tenha inviabilizado pra sempre que eles voltassem a se reunir.

Passados quase 30 anos, o que será que pensa esse sujeito? Será que se arrepende, será que consegue entender o que fez?

Neuro-Musical disse...

Nossa... Que história hein mano? Fiquei impressionado com os detalhes. Sempre ouvi falar sobre o assassinato de John Lenon, mas nunca quis me aprofundar muito no assunto. Em poucas palavras você me revelou toda a história! Muito bom!

http://cerebro-musical.blogspot.com

-Tri disse...

Primeira vez por aqui e já gostei, tenho até um blog parecido, um abraço!

Sofia disse...

Flor, sou nova por aqui. É o primeiro texto seu que leio. Ele está muito bem escrito, no meu ponto de vista. é um texto que te envolve, que te prende. Adorei.
beijos.
Sofia

. disse...

desde então, quem se conforma não é?

Ana Paula Moreto disse...

Woow, um relato que me prendeu até o fim, mas um realto triste, certamente triste, John Lenon um grande artista! Li o realto umas três vezes, gostei bastante, apesar, repito, de ser triste.

circulospsicodelicos disse...

Nunca soube relatos sobre o assassino do Lenon. É a primeira vez que leio alguma coisa do tipo...e realmente são coisas bem inexplicáveis de mentes psicopáticas.

aam-00 disse...

Cara muito bom mesmo
vc escreve de forma a misturar realidade e ficção.
parabéns.
www.sintoonize.com/

Linny ... disse...

eu já li um livreto muito bom sobre o john lennon chamado "Lennon".é curioso pensar que alguém pode enlouquecer e adoecer por seu ídolo.
Dizem até que esse cara já usou um crachá com o nome do ex-beatle no trabalho.É uma pena que nem tive muita chance de ver os trabalhos dele,pois ele morreu antes de eu ter nascido,mas sei que ele revolucionou várias gerações com suas idéias
Bom blog,parabéns :D

Pobre esponja disse...

Infelizmente, nesse mundo escuro e sem cultura, as pessoas que brilham se tornam alvos de inveja ou obsessão. Nada medido ou contido.Oitos ou oitentas.
Tem um filme ótimo que mostra as questões de Lennon nos USA, que queriam a qualquer gosto e com os argumentos mais falácios deportarem o John.
"Os Estados Unidos contra Lennon", muito bom.

abç
Pobre Esponja