segunda-feira, 29 de junho de 2009

Epistemólogo por excelência!


ATENÇÃO!

Se você é do tipo “leitor sagaz”, que devora a Revista Época ou a Veja e sai vociferando o que leu aos 4 ventos sem ao menos refletir sobre o que acabou de ler, esse texto é para você!

Quem não gosta de ser enganado, vai adotar para si a seguinte denominação: “Vigilante Epistêmico”. Sim, quem “é” o que esse termo significa, sabe que deve se preocupar (e muito!) com tudo que lê, ouve e aprende dos outros seres humanos. Significa, no fim das contas, não acreditar em tudo o que é dito ou escrito por aí. Principalmente nas salas de aulas (faculdades, colégios e blablabla).

Viver nessa utopia, ingenuamente, é viver acreditando que tudo o que ouvimos é uma “verdade suprema”, ou seja, que nunca há uma segunda intenção do interlocutor... ora, ora, ora...

Um dado interessante: sabem por que crianças de até 3 anos adoram mágica, ilusões de ótica, truques? Porque segundo estudos, até essa idade, elas realmente são ingênuas, acreditam em tudo o que vêem. Mas, a partir dos 4 anos elas já percebem que não devem crer, adquirem no fim das contas, o tal do “desconfiômetro”. Mas o incentivo com tais mágicas é extremamente válido, assim, elas aprenderão a serem vigilantes epistêmicos!

INFELIZMENTE, muitos quando crescem, acabam se esquecendo disso e vivem num marasmo mental inexplicável, confusos e enganados, porque não conseguem separar o que é verdade do que é mentira.

E o que falar da imprensa ou dos meios de comunicação vigentes nessa selva em trevas que recebe o nome de BRAZIL?! ¬¬, que lamentavelmente não sabem, ou fingem não saber separar o joio do trigo! O Google, por exemplo, indexa tudo o que encontra pela frente na internet, mesmo que se trate de uma mentira ou uma bobagem descomunal. Qualquer “opinião” é divulgada aos quatro cantos do mundo.

Por um acaso você já se deu conta, que a droga do Google não coloca nos primeiros lugares quando de uma busca, os sites da USP, ou da Universidade de Oxford, Harvard, Cambridge, supostamente, instituições preocupadas com a verdade. Não seria o lema de Harvard, In veritas ? Esse tal site de buscas sequer usa o critério de seleção quanto à “qualificação” de quem escreve o texto no seu algoritmo de classificação.

Ph.Ds., especialistas, o Prêmio Nobel que estudou a fundo o verbete pesquisado aparecem muitas vezes somente na oitava página classificada pelo Google. Avaliem o efeito disso sobre a nossa cultura e a nossa sociedade em longo prazo!!

Atualmente, mais do que nunca, precisamos redobrar a atenção sobre dois aspectos com relação a tudo que lemos e ouvimos:
1) O mais óbvio e talvez mais difícil de se constatar de primeira é se o autor do texto está deliberadamente mentindo.
2) Se quem nos escreve ou fala conhece a fundo o assunto, se é um especialista comprovado, se pesquisou ele próprio o tema, se sabe do que está falando ou se é no fundo um belo de um idiota que ouviu falar e simplesmente está repassando o que leu e ouviu, sem acrescentar absolutamente nada!

Aumentar nossa vigilância epistêmica é uma necessidade cada vez mais premente num tempo que os tais gurus chamam de “Era da Informação”.

E me poupem de asneiras os infelizes defensores do Neoliberalismo (os progressistas também), que afirmam que todos têm liberdade de expressar uma opinião! Como se opiniões não precisassem de rigor científico e epistemológico antes de serem emitidas!

Infelizmente, nossas universidades não ensinam epistemologia, aquela parte da filosofia que nos ensina, nos propõe indagar o que é real, o que dá para ser mensurado ou não, e assim por diante.

Aparentemente, embora o ser humano nunca tenha tido acesso a tanta informação/conhecimento como atualmente, estamos estagnados na “Era da Desinformação”, porque perdemos nosso senso de autocrítica, de questionamento. Ninguém realmente ensina a pensar, nem nos ajuda a separar o joio do trigo.

Acho que é isso, cabe a cada um de nós agora, refletir sobre o que foi dito e passar a por em prática o questionamento quanto às informações que nos chegam... quem sabe as coisas não melhoram.
Guttwein, T.

65 Opiniões:

Tamyris Torres disse...

Bom...Não sei se em todas as universidades são assim, mas na que eu estudo - aprendi o que é epistemologia - e acredito muito que não só minha tem essa capacidade, mas sim! Esse conceito passa despercebido entre os alunos e "quem não se comunica se trumbinca"

Rogerio disse...

muito interrensate...não podemos acreditar em tudo...sempre temos que duvidar de algo...realmente temos que pensar a rspeito...

Bruno R.Ramos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bruno R.Ramos disse...

Ari e Gutt,
Vocês prestam pelo trabalho epistemológico e de análise do discurso aqui versado um grande serviço ao internauta, a sociedade virtual e a nós escritores que sabemos do cuidado que temos de pesquisar melhores e mais plausíveis fontes de conhecimento para a composição do nosso trabalho. Parabéns. Espero que essa produção demasiadamente quantitativa de textos possibilite pelo menos uma melhora qualitativa. Acessei o texto de vocês e realmente tive os olhos abertos.
Parabéns!

Inez disse...

Muito bom seu texto, muita gente acredita piamente em tudo o que lê.
É preciso refletir a respeito do que se lê, buscar outras fontes de informação, comparar e ai sim tirar as conclusões.

- εїз Fabi εїз - disse...

"...Viver nessa utopia, ingenuamente, é viver acreditando que tudo o que ouvimos é uma “verdade suprema”, ou seja, que nunca há uma segunda intenção do interlocutor... ora, ora, ora..."

Perfeito! rs

Muito bom seu texto! Muito mesmo, me lembrou uma das primeiras aulas que tive na faculdade e um dos professores abordou este tema.

Boa semana...

Vini e Carol disse...

Fala Gutt, beleza?
Bom, vamos lá.

Eu vejo da seguinte forma, o Brasileiro em si, tem a CULTURA de acreditar em tudo que lê ou vê.
Temos um exemplo recente, Michael Jackson faleceu, e a mídia mídia Mundial) esta tentando dizer ao público que o médico dele que tem culpa! Porque isso? Porque o cara era uma celebridade, teve uma morte comum (mesmo ingerindo vários remédios), e a mídia não tem o que falar, mas sabe que esse assunto dá ibope. E já vi MUITAS pessoas na internet falando que o médico matou ele e etc e tal.
Isso é lamentável..

Sobre as crianças e sua inocência, você disse tudo, e quando começam a crescer e vê que o mundo não é um paraíso, sofre uma carga psicologica imensa, por isso que muitos começam a entrar no mundo das drogas, roubos e etc.

Sobre as universidades não ensinar a epistemologia, eu acho que isso a gente aprende na rua. Pra mim, universidade é a base apenas, o ensino vem com a vida.

Bom, é isso.
Velho, não leva a mal eu ficar copiando seus widgets e etc, é que vejo seu blog como parâmetro. É um dos melhores blogs que já li.

Abraço, Vini.

kbritovb disse...

Uma história sempre tem dois lados.
É uma das coisas que eu levo a sério quando leio ou vejo alguma matéria, mesmo quando se trata de um assunto que o outro lado apenas confirme que foi anunciado. e sabemos que hoje a verdade é bem maquiada em alguns casos.

p.s ainda gosto de magica =D

Kallynka disse...

Falta muita coisa que a faculdade devia nos ensinar, na verdade tem muita coisa que deveriamos aprender em anos anteriores e não aprendemos. E tem muita coisa que entra na grade curricular, mas que não usamos.

Breno disse...

Existem algumas razões que levam as universidades a não ensinarem epistemologia. A primeira é que esse não é o objetivo da graduação, a não ser que se curse filosofia. Mesmo assim, apenas de modo genérico.

O segundo motivo diz respeito à falta de preparo dos professores. Por mais que tenham o título de doutor, 99% não é formada por filósofos e não trabalha com epistemologia. Fazem suas pesquisas quase que empiricamente, sem qualquer reflexão sobre o Ser. Na verdade, são muito mais adestrados a isso desde o seu curso de doutoramento.

Nossos doutores não são doutores senão pela titulação. Afinal, cada um é responsável pela sua própria formação. Se entendermos que o ensino e a discurssão da epistemologia seja importante para nossa formação, então caímos dentro, procuramos bibliografias, lemos teses filosóficas. Ou caímos mediocridade, apesar do titulo.

JuANiTo disse...

Belo POST.
As pessoas precisam aprenser a Filtrar o que Leem e Ouvem. Para o bem delas proprias. E até pra ser mais justo com tudo o que faze julga ou pré-julga.
Abraço!

Pobre esponja disse...

Há de se ter muito cuidado com o que se lê na net. Nem culpo o Google (isso é capitalismo), o problema é mais velho que andar para a frente - a má formação dos professores dos nossos professores, aliado a uma classe média preguiçosa, que possue diploma e passa um ano todo sem ler um único livro.

abrç
Pobre Esponja

Kelly Christi disse...

Descordo. Não estamos na era da desinformação, muito pelo contrário, há muita informação por ai, só que como as coisas andam rápidas demais, com o crescimento da publicidade e etc, muitas pessoas querem informações rápidas e querem ler aquilo muito rápido sem se questionar devido ao caos urbano que cada um enfrenta, isso já é de praxe, logo a informação é vendida, as pessoas leêm, não se questionam e fica nesse ciclo vicioso.

bjitos

http://www.pequenosdeleites.blogspot.com

Karina Costa disse...

AcreditO tbm q não devemos acreditar em tdo em q lemos ou sair por aí vomitando tdo que acabamos de ouvir..
Acho que precisamos refletir sobre o assunto.. e sempre fazer uma auto critica.. é o q falta hOje, pois as pessoas aceitam as info.. sem qunestionar sobre elas..

Belo post.. Um bjo..

http://www.karinacosta1909.blogspot.com/

Ailton Sobrinho disse...

Desde pequeno fui ensinado pelos meus pais a desconfiar do óbvio e nunca acreditar na primeira informação adquirida... Sempre fui orientado a acreditar nas coisas tomando como parâmetro a segunda versão, o segundo ponto de vista... E lendo o seu texto refleti sobre isso que há algum tempo passava desapercebido por mim mesmo... Questionar é essencial para a sobrevivência de qualquer ser humano... Às vezes, saltar de cabeça na opinião do outro pode ser fatal...

GaB. disse...

Sempre sempre e sempre questionei tudo o que eu lia, o que me diziam..todo o tipo de informação que chega até mim. E fico abobada com o numero de pessoas que simplesmente acreditam em tudo e se conformam com isso.
Gostei do teu blog
vou passar aqui sempre.
Beijos.

pedro disse...

Ótimo post! Realmente é importante buscarmos a fonte até mesmo de grandes veículos, pois elas sabendo da importância que tem para formação de opinião alheia, podem distorcer o que bem entender...

Zone Core disse...

O negocio é deixar o brasileiro burro. Ali sem forma opinião, assim fica mais facil a manipulação, a alienação...

Gostei muito do seu post, parabéns!

Dani disse...

As informações são muito mais mastigadas e superficiais pois a maioria não tem o interesse de aprofundar no assunto e para muitos outro não é conveniente que se tenha conhecimento.

Megumi ~ disse...

Ah, é um dos grandes problemas das novas gerações, e se espalhando pela sociedade em geral. As pessoas leem e acreditam sem segunda opinião ou sem ao menos se informar sobre o assunto...

Moon disse...

Mas vale lembrar, que questionar demais é fatal.
Digo isso por experiencia própria.
Temos que saber também, que algumas coisas não precisam de questionamento, que não custa nada deixar-se levar.
E outro tipo de questionamento, não é apenas se o que lemos, ouvimos e vimos na mídia, é certo ou errado, mas sim como somos propicios a idealizar alguma emoção, um falso sentir, por algum sensacionalismo da mídia.
Ai já é um questionamento do próprio ser.

Ótima postagem.

se puder:

http://arrasteumacadeira.blogspot.com/

Tássio Winter disse...

tem muita gente que, só porque um bando de resvistas tem nome, acredita em tudo que elas dizem. muitas daquelas opniões levam muito pro lado pessoal
massa o texto ;)

O grude disse...

Parabéns pelo texto. Eu no meu curso de história na UFPE, temos uma cadeira que ensina metodologia da história e lá os professores falam que temos que tomar cuidado com tudo que lemos. Porém vejo que alguns alunos não aprenderam, eles entram no Google e dão a descarga em todos os trabalhos que os professores passam, sem nem ao menos levar o que leu a menor criticidade.

morethanwords3 disse...

Cara, bato palmas de pé para o que vc escreveu. Meus parabens!

Com certeza, nosso povo já naum eh bem visto em questao de conhecimento cultural, alias, sao poucos os conhecimentos em q somos privilegiados e, em alguns deles, o premio vai para conhecimentos em malandragem, trambicagem etc.

Precisamos aprender a extrair a verdade das informaçoes q nos sao transmitidas e indagar sobre as possiveis inverdades!

Parabens mais uma vez

Abraçoss

má (: disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jeferson Assis disse...

Olá rapaz, tudo jóia?
Belo texto. Mas será que eu não tenho que indagar se isso é verdade ou mentira?..hahah.
Faço das suas palavras às minhas. Indagar, buscar informações que possam complementar algo que é bastante debatido, elaborá um questionamento, são coisas que eu sempre faço. Confesso que, nunca acredito numa notícia quando a leio pela primeira vez. E isso deveria ser feito e seguido por várias pessoas. Tem muita gente com amarras e que acreditam em tudo que ouvem e/ou lêem.

Em letras garrafias: PARABÉNS! MELHOR TEXTO QUE EU LI HOJE.


Vou te seguir.

Abraços..

Jeferson Assis, Belém, Amazônia, DesBrasil.

má (: disse...

ótimo texto *-*' e infelismente, verdadeiro.
ainda acredito que é direito de todos falar a bosta que lhes vier a cabeça, mas concordo com você que não é mais do que nosso dever pensar sobre o que está escrito antes de concordar, discordar ou, pior, repassar.

Fernanda disse...

É verdadíssima o que disse: não é por se tratar de uma opinião livre que não deve ter rigor, cuidado, pesquisa. A liberdade não é oba-oba, não tolera irresponsabilidade, não é para ser maculada por ela; liberdade é direito dos responsáveis. Os que não a sabem usar, os que a usam para fins de prejuízo alheio, devem ser privados dela ou fortemente advertidos. Beijos e sucesso no blog!

Daniel Silva disse...

muito bom o texto! eu sou um desses vigilantes, felizmente.

abraço

Guto :D disse...

muuuuito bom o texto,parabéns,se bem que liberdade está no ato do que se faz na necessidade,em tudo tem liberdade,e liberdade no sentido real nela sim,eh irresponsavel,por isso que todo mundo se deixa controlar por tudo,medo da liberdade e suas consequencias,fikdik :)

Celebrity Poke! disse...

muit bacana o blog
!
abrç

www.celebritypoke.blogspot.com

PanPum Flûor disse...

fantastico!

muito bom mesmo, e bem lembrado a parte do google.

acho que estamos acomodados demais, e um conformismo surreal que nao permite nem se quer pensar.

Nessa disse...

PSALPSLAPSLAPLSA...
leegal :D

→Aท@ ¢A®0ℓ!ทA← disse...

Excelente texto! Nossa, isso tudo me fez refletir... No mundo de hoje todos querem informações, querem aprender, saber e tal, mas poucos se preocupam com a qualidade de suas fontes. Eu mesma às vezes esqueço de contenstar as infromações que chegam a mim, o exemplo do Google foi precioso, na nossa pressa de não ler mtas páginas, acabamos dando crédito a verdadeiras bobagens.
Precisamos sim ser epistemólogos!
Abraço

http://anacarolinolandia.blogspot.com/

Anna Oh! disse...

Infelizmente, não aprendemos o métodos.. o melhor caminho para procurar, obter dados válidos e absolutamente questionáveis. Não verdades absolutas.
Por isso eu amo o Scielo.


Bjus

Wander Veroni disse...

Olha, não existe verdade absoluta. A verdade tem várias vertentes e por isso, as pessoas deveriam ficar atentas e pesquisar a veracidade dos fatos. Por isso é importante acompanhar mais de um veículo de comunicação e ouvir os prós e contras de um assunto determinado.

Abraço

30 e poucos anos. disse...

Existem verdades relativas...a sua verdade relativa é diferente da minha pois se baseia na verdade que mora dentro de cada um.

L ! disse...

Duvidar, sempre!
Confiar, jamais!
No máximo, oferecer o benefício da dúvida!
^.^'

http://adytaness.blogspot.com/

[ Visite-o ]

Tiago Dadazio disse...

TORCER PRO INTER HJ?

Ana Paula Moreira disse...

Depende de cada um saber em quem e em que acreditar. Quanto ao google, não acho que ele tem que filtrar os sites nas primeiras páginas da pesquisa. Quem está fazendo uma pesquisa deve saber que na internet precisa ter fontes confiáveis, como sites oficiais, já que qualquer um pode escrever qualquer coisa na internet.

YAJIMA-CHAN disse...

ADAOREI O BLOG!!!

MUITO BOM O TEXTO!!

PARABÉNS!!

:D

Frank disse...

não importa o assunto, a verdade nunca é absoluta. tudo depende do ponto de vista, visão e valores.
claro, nunca devemos ouvir uma única opinião para tomarmos uma posição. é preciso analisar tudo o q cerca o assunto

Angel disse...

Com certeza é preciso usar o discernimento para separar o joio do trigo, a internet oferece de tudo, cabe a cada um buscar o filtro adequado.

Jonatas Fróes disse...

Eu não acredito em verdade absoluta, nem acredito que apenas uma única fonte possa comprovar com precisão um fato. Cabe à cada pessoa saber dissernir isso e usufruir da melhor maneira.

[]'s

Musikaholic

Rogerio Martins disse...

De forma simples, com o cuidado de não ser simplista, acredito que é fundamental desenvolver o senso crítico. É importante ler, absorver, analisar, refletir e tirar suas conclusões.

Há mercado e público para tudo. Há faculdades para todos os gostos e tipos de pessoas. Enfim, cada um na sua.

Abraço

Rogerio Martins -
http://palestranterogeriomartins.blogspot.com/

Andy disse...

muito bom!
já tinha tido uma discussão dessas sobre o google com uns amigos...

Edilaine disse...

Acho q já sou isso aí e não sabia... rsrsrs
Não acredito em tudo de cara... sou mto questionadora!!!

Luciano Silvestre disse...

Parabéns pelo texto, fantástico! Infelizmente hoje vivemos em um mundo onde grande parte das pessoas estão alienadas. Precisamos acordar desse eterno sono.

Parabéns pelo blog, vou segui-lo e aguardo a sua visita no meu: www.aartederefletir.blogspot.com

Leia Nóis? disse...

parabens pelo texto.
continue assim, um abraço.

http://www.leianois.blogspot.com/

menumulher disse...

Tenho pena de quem acredita em verdades supremas e não faz questão de enxergar um palmo à frente do nariz. Leu na Veja? Foda-se! Leu na Época? Foda-se mais ainda. Odeio intelectualóides e suas noções ridículas de realidade.

Bom texto, parabéns.


Visite:
http://menumulher.wordpress.com

Celebrity Poke! disse...

poh cara 50 comment´s que bacana
prova mais uma vez que o blog é otimo
abrç


www.celebritypoke.blogspot.com

Kelly Christi disse...

Guttwein disse...
No fim, todo mundo fica bonzinho...vira herói! Por mais pedófilo que seja...¬¬³
.
__________________________________

Pior que é, caro guttwein rsrsrsrsrsrs

bjito, volte sempre que quiser.

Bruno e Joyce disse...

O problema da era da informação é a própria informação. Pois ela vem pronta, mastigada, não dando espaço para o pensamento. Logo que vc a recebe, vem outra, não nos dando tempo para refletir. As informações são dadas sem qualquer discussão sobre o tema. Atrofia o pensamento...

Bruno Costa

Vivendo deixando a vida me levar... disse...

Gutt, gostei do tema! e concordo contigo, que hj até por preguiça de pensar ou contestar as pessoas simplesmente saem acreditando em tudo e pior repassando...
É o ócio que acostumado, impõe aos seres sua continuação!
È triste!

Bjos^^

Ana Paula Moreira disse...

O pior é repassar as notícias que vimos em qualquer lugar para frente como verdade. Além de nos enganarmos acabamos enganando outras pessoas.

drwhatever disse...

Bom...

eu entendo o seu ponto e concordo quando dizes que realmente não devemos acreditar em tudo o que lemos.

Acho que opinião é algo que deveria ser contruida de DIVERSAS [e não apenas uma única] fontes, mas ai muitas pessoas sem opiniões sobre assuntos específicos terminam por as vezes ter acesso a apenas uma única fonte e repetindo sua opinião daí, acho que todos já fizemos isto algum dia até porque não é sempre que temos a oportunidade de nos informar sobre um determinado assunto por diversas fontes.

Acho essa coisa de informação "certa" e "errada" por muitas vezes extremamente relativo, assim como você tem sua verdade absoluta, outros bilhões de humanos também possuem suas próprias...

Bom, falei demais.

Meu nome é Dr Whatever, curti demais seu blog, vou te favoritar.

Abração

kilder disse...

muito bacana o teu blog, parabéns!!!! texto muito bom.

Ph disse...

Muito bom!

Fiz um post sobre isso dia 1º, devo dizer que muito mais idiota que o seu, mas dá uma olhada =P

http://ymoura.wordpress.com

Paz

KarlinhaP&LaahF&MaanuF disse...

Caaara, você escreve muuito beem :D
um dia eu chego lá :D
comeenta aih no meu bloog :**
http://meumundinhorosaclaro.blogspot.com/

Andreia disse...

Reflexão, reflexão, reflexão... é o que eu sempre digo. Informação excessiva pode tornar muitos meros papagaios. Mas informações em dose moderadas, e refletidas, torna-nos grandes pensadores.
Abraços!

Mari Ceratti disse...

Galera, algumas reflexões soltas sobre o post... ;-)

* Quem tem que ter critério para alguma coisa não é o Google -- que é apenas uma ferramenta tecnológica --, e sim quem o utiliza.

* Lembremo-nos da quantidade de analfabetos funcionais que existem no Brasil. Gente que pode até ler uma frase ou um texto simples, mas não vai dar conta de interpretá-los. Quem não consegue cumprir tarefas tão básicas vai ter muita dificuldade em conseguir ler criticamente a imprensa e a internet.

* Finalmente, discordo de quando vocês dizem que não é todo mundo que pode expressar opinião. Todo mundo pode opinar sim (ou alguém aqui é a favor de algum tipo de censura?). Só que opiniões vazias não se sustentam por muito tempo em nenhum lugar (nem mesmo na web). Outra coisa: não podemos nos esquecer, novamente, do comportamento de quem as lê ou ouve. O receptor da mensagem é que tem que estar preparado para processar aquela informação e não ser enganado por ela.

Abraços!

Junior disse...

Caraca, essa mina ai de cima detonou!

De fato não podemos atribuir a uma máquina características humanas.

O Goggle joga nos primeiros lugares os mais acessados, como Wikipédia. Mas nem sempre é o mais coerente.

Eu escrevo sobre religião e sempre aparece em primeiro lugar nas pesquisas os mais acessados, nem sempre o mais coerentes.

A Internert serve para tanta coisa, e ao mesmo tempo para pouca. Achar informações e textos de alto nível é cada vez mais raro.


http://www.apostoladoshema.com/2009/07/teologia-da-libertacao-por-que-e.html

fabriciobezerradaguia disse...

eu vi um debate esses dias na tv brasil,falando que hoje em dia ,há maior numero de meios de informação ,mas não maior numero de informados.Aconteceu um caso de um cara que escreceu na wikipedia que um musico disse a frase:"quando eu morrer eu vou ouvir uma sinfonia só pra mim".Quando o musico morreu ,jornais de todo mundo noticiaram que o musico havia falado isso,sem mesmo checar se era verdade

BRUNO disse...

Isso é muito antigo, mas o seu post é ótimo para revelar a esse pessoal que anda por aí sabendo de tudo por ler em revistinha e jornaizinhos, ou msm na internet, como já dizia o poeta, hj ninguém mais sabe dizer "não sei"...

Abraços!

Max disse...

O texto me fez pensar sobre a veracidade nele próprio. Adorei o artigo, ainda que a realidade passe por campos simbólicos que direcionem uma realidade por várias, realmente interessante. Parabéns!