domingo, 12 de dezembro de 2010

Taxi Driver



Havia regressado a pouco das tais Forças Expedicionárias, missão de paz em um país longínquo. Uma guerra que nunca fora sua. Um interesse governamental escuso, omisso, mas tinha consciência de algo; Jamais ficaria sabendo o real motivo para ter sido mandado para lá. Política nunca fora seu forte mesmo. E acabou que no fim, se acostumou com o jorros de sangue e com os constantes gritos, dia e noite. Mas tudo isso era um passado (recente) que estava disposto a esquecer.

O fato é que, agora que estava em casa, precisava se ocupar de alguma maneira, para efetivamente, pensar em outra coisa que senão nas atrocidades das quais fez parte. Surgiu portanto uma oportunidade para ser motorista de taxi. Aceitou sem pestanejar. Não toparia algo burocrático como trabalhar em escritório, pois seus espírito não permitia algo que o acorrentasse. Odiava burocracia e as correntes destrutivas advindas dela.

Mesmo sendo do tipo calado, reforçado por ser um ex-militar, acabava conversando com todo tipo de gente graças a nova profissão. Pessoas que trabalhavam para o governo, gente da televisão, cafetões diversos e claro, “as meninas da noite”... Como ele se referia a elas, as profissionais do sexo. Enfim, uma gama de pessoas e de formas de pensar. Não que esses pequenos fragmentos de conversas agregassem algo mas, inconscientemente, ele pensava mais do que gostaria nas conversas que tinha com seus clientes flutuantes.

Há tempos não via qualquer familiar, a relação nunca fora das melhores. Quando morava com os pais, não havia luxo porém o trivial não lhes faltava. Um pai austero, militar aposentado, uma mãe bastante religiosa. Ria amarguradamente ao se lembrar disso e ainda mais quando pensava no que havia se tornado. Algo completamente aquém das aspirações familiares. “Mas essa é minha vida, não a deles”, assim pensava.

Nunca fora um tipo “maquinador”. Aquele tipo de pessoa que tenta a todo custo controlar seu mundinho particular e de quem está ao seu redor, para fazê-lo girar no seu ritmo. Na verdade, sentia-se internamente como um cão que corre atrás de um carro quando o vê passar. Nunca saberá a razão do porque isso ou porque aquilo, nem o que faria se pegasse o carro finalmente. Simplesmente o faz...

Hoje o tal “cão” finalmente pegou o carro, o dirige, e não contente, ainda leva pessoas aos seus destinos, conforme combinado. “Ironia fina”, assim é que ele gostava de pensar ao lembrar-se disso...
Guttwein, T.

26 Opiniões:

Bєьєl·Liмa disse...

nooossa belissimos textos.
parabens pelo blog

http://bebellima7.blogspot.com/

André Poerschke Vieira disse...

ele nunca irá de deixar ser um cão mandado. De militar a motorista de taxi, mas certamente, como motorista, a vida dele está bem mais calma e prazerosa. Convive com todas as pessoas, conversa com todos os tipos de pessoas...A vida dele mudou muito, sem sair da linha haha

http://umdiaentenderei.blogspot.com/

Baixar tudo disse...

bem legal a postagem parabens mt legal o blog

http://planetahuumor.blogspot.com/

Kiko Lemos disse...

A imagem e o texto me fezeram lembrar do filme Taxi Driver, e por falar nisso ume texto foi maravilhoso, intenso e verdadeiro

Raíla Guimarães disse...

Muito bem escrito o texto;
Parabéns.

beijo.

Gabriel disse...

Ótimo post parabéns ...
Desejo muito sucesso ao seu blog e claro felicidades ^^

Nathália Galúcio: Nathy_bass disse...

gostei mto do blog.. parabens! ;)

Gabriel Pozzi disse...

Muito bom Guttwein! Se há pouco tempo eu vim aqui para dizer o que me encanta no texto da Ariane (a humanidade e seus afins), posso dizer com certeza sobre o que me encanta nos seus: a capacidade de me transportar para uma situação jamais imaginada. E sem partir para um mundo fantasioso. Uma realidade existente, porém distante das pessoas que leem o conto (assim imagino, rsrs). Parece clichê dizer isso, mas o que quero dizer é que muitos bons escritores com esse mesmo dom precisam apelar para situações absurdas, e o seu texto não tem isso... não é absurdo, pode ter acontecido com alguém, e vc escreve com propriedade de quem vivenciou isso. DEMAIS.

--

Ariane, sim! eu escrevi Drive pq muita gente já tinha sugerido, e como foram duas pessoas pedindo no mesmo post, achei que era um sinal! hahahaha

abraços para o casal! :)
http://songsweetsong.blogspot.com

Bruno disse...

No início do texto lembrei do filme "valsa com bashir", quem nãi viu, veja. a história é interessante, leve e bem escrita. Gostei do "passageiros flutuantes", nunca havia pensado nesse velocidade da profissão taxista.

www.costabbade.blogspot.com

Ligia Kaysel disse...

Interessante este seu texto."Na sua profissao, acabava conversando com todo tipo de gente, de historias.E ano acrescentava quase nada, apesar de pensar nelas. Eu trabalho fazendo emprestimos para imigrantes em Londres, e acontece isso comigo, acabo conversando com diversos tipos de pessoas com todo tipo de historia, mas sabe, estou aprendendo muito com esta experiencia. Acho que mais do que o que vc faz, e a leitura que vc faz do que vc faz. A pessoa pode ter um mesmo trabalho, mas encara-lo de forma completamente diferente. Muito bom texto.

http://minhaescolali.blogspot.com

disse...

Oiee
Passando para desejar um grande natal e que 2011 seja perfeito!!!

Beijosss

joão victor borges disse...

Criei um selo próprio pra repassar aos blogs que realmente admiro nesse Natal... não é muita coisa mas é de coração, parabéns pelo blog, acompanho vocês sempre! =)

ps: o selo não tem número de blogs a ser repassado não, o objetivo é justamente repassá-lo apenas a quem você realmente gosta e admira... se não houver ninguém, é ficar a vontade para não repassar haha =)

Grande abraço e Feliz Natal!

selo: http://bit.ly/fcyyLF

Thaise L. Pinto disse...

Olá estou aqui para lhe avisar que o "Confissões em um Divã" agora mudou de lugar, por motivos de força maior, o novo endereço é: http://www.lpthaise.blogspot.com/

Abraços
Fique em paz
=)

Tati disse...

Esta primeira visita de 2011 é para agradecer a gentileza e delicadeza que vocês tiveram ao ler o De Analgésicos & Opioides por todo esse tempo. E como em breve o blog tomará um novo rumo literário, gostaria de prestigiar todos aqueles que o seguiram quando ainda era apenas algo pequeno na blogsofera. Embora eu ainda não possa contar os detalhes, gostaria de pedir que vcs deixassem um email de contato fácil no De Analgésicos & Opioides. Quero poder prestigiá-los em breve com coisas bacanas e versos sempre livres!

Abraços. E que absurdemos 2011! Tati

P.S.: Ironia fina... gostei dessa observação!

Juliana Carla disse...

✩✩✩ Feliz 2011 ✩✩✩

"Nós abriremos o livro. Suas páginas estão em branco. Nós vamos pôr palavras nele. O livro chama-se Oportunidade e seu primeiro capítulo é o Dia de ano novo." (Edith Lovejoy Pierce)

Ingredientes: prosperidade, felicidade, amor, sonhos, luta, vencer! Sabedoria para construir o que se espera de um novo amanhecer.

Obrigada por estar comigo em 2010! Que hoje e sempre não seja diferente. Vamos somar aprendizados.

Juliana Carla
brailledalma.blogspot.com

Gabriel Pozzi disse...

gente, não sumam, façam esse favor para o mundo! :((
hahahahahaha

--

Ariane, obrigado por aparecer lá no meu blog!
olha, Foo Fighters é muito bom, inclusive eu ganhei ano passado o Greatest Hits deles, isso pode me ajudar a me inspirar e escrever sobre a banda, com certeza! haha
Everlong tem uma linda versão acustica, se eu for escrever sobre ela será sobre essa versão...
dá uma escutada:
http://www.youtube.com/watch?v=eO_15bcZTq8

mas é mais provável que eu faça sobre Learn To Fly mesmo (o clipe é genial), ou sobre Time Like These, a primeira que ouvi deles!

quanto as músicas brasileiras, eu não escrevi pq não fazia parte da proposta do blog que é recomendar essas bandas indiezinhas internacionais (que eu "manjo" mais hahaha), mas como o número de pedidos é grande, é bem capaz que eu faça um post especial falando sobre uma variedade de bandas brasileiras que surgiram recentemente que tem muita qualidade... só uma pincelada pro pessoal conhecer, mas acho que já vale! :))

beijos Ariane, abraço pro Gutt, APAREÇAM COM SEUS TEXTOS AQUI!!!!!!

http://songsweetsong.blogspot.com/

- disse...

Textos subjetivos e que te fazem pensar...adoro isso! Literalmente muito além do que se ''lê'' !

Daíse disse...

Adorei o teu jeito de escrever!
Voltarei sempre aqui!
Bjo!

Rah . disse...

Muuito liindo hein.
Nossa, tava vendo arquivos do meu blog e encontrei um comentario teu lá e então viim parar aqui, e olha, gostei muuito do que vi aqui.
Sempre que tu tiver um tempinho irei dar uma passadinha por aqui ok?

Beeijos de tua nova leiotra.

P.S: To te seguindo agora *-*

Fernando disse...

Parabens pelo seu blog,
Gostei do conteudo, estarei sempre acessando para conferir as novidades ^^

Guia Comercial de Hortolandia

A garota do blog disse...

Oie!! Seu blog é otimo tem selinho pra vc.. passa no meu blog.

http://coiizapokka.blogspot.com/

L. disse...

meu anjo, eu adoro seu blog,
resolvi repassar esse selinho que recebi pra você.
beijo grande ;*

1- Exiba a imagem do prêmio
http://1.bp.blogspot.com/-4IBaE_hCaTY/TdMHD7KMFbI/AAAAAAAAAJI/eEtWgcAyiZM/s320/Primeiro%2Bselinho.JPG
2- Poste o link do blog que o premiou
http://mysparkless.blogspot.com/
3- Publique as regras
4- Indique 10 (dez) blogs para receberem
5- Avise os indicados.

Katrine disse...

Ótimos textos, muito seu blog!

Bom restinho de domingo e boa semana.

Luiz disse...

Escreve muito bem.

Parabéns pelo blog.

Bruna Geovanini Varniër disse...

Que legal! Adorei!!!!!!! Tá pra surgir um concurso de contos entre eu e uma amiga! Fica atenta no blog http://sintatambem.blogspot.com

Matheus Lopes disse...

hahaha Antes disso, adorei o minutinho de atenção!

Depois, quero lhe parabenizar pela estória. E acredito que uma parte dois seria muitíssimo bem vinda, que achas?