sábado, 8 de maio de 2010

Saudosismo...


Minha letra já não é como foi outrora. Antes, era meio que uma obrigação ter uma letra bonita, afinal, só tinha a opção de escrever. Como era bom enviar cartas... Além do que, a memória precisa de um suporte, para que nossos pensamentos não virem pó...

Mas algo que sempre me incomodou são as marcas e o esfolamento que a borracha deixa no atrito com o papel. As palavras rabiscadas. Olhando o resultado após algumas rasuras, fico meio que desanimado.

Por isso acabei cedendo tanto aos netbooks e ao smartphone ou tecnologia que os valha. Facilitam a transferência das informações para o micro ou para internet e claro, o problema das rasuras que tanto me incomodam, deixam de existir.

Apesar de contraditório, a questão é que gosto do ato físico de escrever. É gostoso pegar um lápis e desbravar uma folha de papel em branco. É como ser um artista que pinta um quadro (a grosso modo).

Por um período da minha vida, utilizei maquinas de escrever. Primeiro, uma manual, depois, uma elétrica, ambas do meu pai. Ele usava, nada mais natural que eu também as utilizasse. Hoje, tenho lá minhas dúvidas se conseguiria retornar a esses tempos. Mas a saudade dos sons que embalavam e compunham o gesto de escrever nelas nunca sairá da minha cabeça...
Com o computador, nunca mais perdi um trabalho, mas a irritação nos olhos por causa da tela e o risco de adquirir uma LER/DORT é inegável rsrs...

O caso é que, o contato com um teclado, um mouse e uma tela é meio que asséptico. O cheiro, os sons variados, e a textura do papel é algo que não consigo superar. Você escrever através de um computador, nem de longe, se assemelha a escrever manualmente ou por meio de uma máquina de escrever. Hoje não consigo reconhecer minha presença pessoal nos textos que escrevo. Sou eu, mas é como se não fosse.

Hoje, por meio do micro, é tudo anônimo. Mais abstrato impossível, beirando o impessoal. Aliás, nesses nossos tempos, o que não é assim?
Guttwein,T.

Além do que se vê...

Nossas postagens via FEED no seu email!

36 Opiniões:

indivídua disse...

minha letra sempre foi horrível, mas eu gosto de agredir o papel!!!! máquinas de escrever, sempre sonhei com uma... mas sou da geração computador e o meu pai se livrou da dele. infelizmente...

http://celuliteseoutrasestranhezasdemulher.blogspot.com/

Running Brazil ( Billy ) disse...

Meu camarada... minha letra continua igual quando eu comecei a escrever ( hj tenho 28 anos ) , ou seja, péssima, incompreensível ...apenas eu consigo traduzir o que lá está escrito.
Amo escrever também mas dado as circunstâncias, a tecnologia de hoje em dia salvou minha escrita...rs
abraços
runningbrazil.blogspot.com

Niemi Hyyrynen disse...

Oie...

Obrigada pelo comentário sincero e avaliação sincera, rs é disso que precisamos para melhorar sempre.

Fingimento poético envolve muito disso de exagerar para isolar e contextualizar melhor. Vide a regra, não tenho o amor por aquele jeito.

:) sobre as letras, bem dizem que ela traz um pouco da personalidade do dono (a), e eu acredito nisso.

Afinal todas nossas ações até as ações implicitas (modo de escrever) nas ações explicitas (escrever de fato sobre o papel), dizem alguma coisa sobre nós.

É tudo questão de leitura das entrelinhas!

Seguindo tb. =*

Niemi.

Fábio Zen e Débora disse...

Visitando os amigos e já me deparo com uma postagem de questão que eu estava pensando dois dias atrás,quando de madrugada,com uma folha toda rabiscada,fazia os ajustes finais da sequência dA novela "Em carne viva!".Acho que é algo inerente a quem escreve,é o envolvimento físico com a escrita,é como se ela estivesse sob nosso controle absoluto(na tela acho que temos um medo inconsciente que suma).Sempre bom vir aqui.

EM CARNE VIVA X
http://oficinamissoes.blogspot.com/2010/05/em-carne-viva-x.html

UMA SOLIDÃO COLOSSAL!
http://pimentazen.blogspot.com/2010/04/uma-solidao-colossal.html

Tiago disse...

Eu também sinto certa falta do papel e da caneta mas isso diminui ao longo do tempo. Acho mais fácil e prático o teclado afinal, o essencial é o conteúdo do texto. Embora me incomode de vez em quando o automatismo...

Certas tecnologias vieram para ficar, só nos resta nos adaptar

Talles azigon disse...

e como diria, se não me falha a memória,

(memoria essa que sempre me falha, pois como você sempre vislumbro o passado, passado que me encanta e me hipnotiza)

"hoje a vida é crônica"

Isa disse...

Eu ganhei uma máquina de escrever aos 14 anos, que havia sido do meu pai e era o meu xodó; infelizmente no começo da década de 90 eu a aposentei e comprei um lap top pra escrever minha tese. Nunca mais voltei a usá-la e sinto uma falta enorme. Também já não sei mais escrever à mão, as letras saem tortas... Enfim, a tecnologia venceu, nesta e em outras áreas!
:.( Abraço!

sequelanet.com.br disse...

O legal, é que na internet, seus textos podem atingir centenas, milhares e até milhões de pessoas. Isso, claro, se quiser que seja lido.

Niko Travesso disse...

viajou legaaal!
hauhauau

http://nikomoska.blogspot.com/

Tati disse...

Saudades também das cartas. Tenho um amontoado delas - não consigo e não quero me desfazer delas.

Mas também não sei mais viver sem o imediato da internet. Novos hábitos!!!

[a minha letra, embora seja bonita, ela é um tanto incompreensível...]

Robson Valente disse...

esses dias entrei nesta questão, com a utilização do PC para escrever muita coisa mudou, ate mesmo se der o papel para muitos como eu, vou esmagar o português...
sempre quis uma maquina de escrever ... super abraço e visite

http://transpondomuralhas.blogspot.com/

J P F O X disse...

Tudo isso ainda traz uma agravante: antes não tínhamos o corretor ortográfico do Word ou seja lá o que for, com isso nos preocupávamos em escrever bem. Quando a dúvida surgia, recorríamos ao dicionário ou um livro de Português. Hoje o PC faz tudo por nós. Às vezes quando estou escrevendo a mão, me pego em dúvidas irrisórias, estas causadas pelas milhões de vezes que recorri ao teclado em detrimento ao papel.
Abraços Gutt.

Notinha que não pode faltar: O seu SPFC vai ser triturado pelo meu Cruzeiro nesta Libertadores!!! Mais uma vez...

Asas Negras disse...

fui indicado ao premio dardos e estou te indicando tbm..passa lá no meu blog e dá uma olhada..
http://brunocontosdeterror.blogspot.com

Millena Blogueira disse...

A era da computação baniu o lápis, o papel, as cartas...

Bruno disse...

As máquinas de escrever e os lápis e borrões vão, mas a paixão por escrever continua. Ainda que uma certa identidade se perca nas tecnologias, ainda se tem o estilo, tem-se o conteúdo. Isso pode diferencia-lo. Espero que as ondas virtuais não lhe tirem o gosto pela criação na escrita. Mas também, nada nos impede de utilizar ambos, o computados e o lápis.

Macaco Pipi disse...

SOMOS APENAS NÚMEROS
JÁ ERA!

Ana disse...

Ah, o computador, os netbooks, celulares e toda essa tecnologia facilitam muito a nossa vida.. Mas eu tenho certa saudade de abrir e depois poder rasgar as cartas, de poder senti o cheiro que elas tinham. É estranho como as coisas se tornam tão passageiras com toda essa tecnologia. É, bonito texto, parabéns;

A.C Once Caldas - SM disse...

pois é, eu não sou desse tempo, sou mais da era tecnologica mesmo.
mas prefiro tudo como era antigamente :)

Smilegirl disse...

O cheiro do papel ...
Hahaha ... lembram-se dos mimeografos ??? Tudo isso da vontade de ler, escrever ...

Engracado que sempre tive diarios!

Desde menina, sempre esperei por aquele momento do dia em que podia sentar, pegar lapis (prefiro escrever a lapis, mesmo passando a borracha a rasura e menor do que se usarmos corretivo ...), o diario ... lembrar-me de sentimentos, pensamentos e deixar fluir ... assim o e com as palavras ...

Aqui, num PC, teclando esse comentario ... penso que gostaria de escrever tudo isso !

A moda antiga ... lapis HB, sulfite ou almaco ...

Alguem ai quer comprar uma maquina de escrever ??? :/

Gabri disse...

Minha letra é bem feia, FEIA DE VERDADE, mas mesmo assim, eu gostaria de poder escrever no pc, ao invés de bater em teclinhas.... pq adivinhe só... desenvolvi L.E.R. e piora da minha miopia por causa dessa coisa aqui, que eu amo, mas me faz bem mal. rsrs


beijos.

Thalita Souza disse...

Eu sinceramente prefiro aqueles bons e velhos tempos das cartas,dos papiros...tudo à caneta e papel,aquele cheiro de folha fresca...as palavras se soltavam mais,eram livres...

beijos,
Things of the Soul.

Gian Le Fou disse...

Já escrevi muito no papel, mas hoje prefiro o computador. Infelizmente aderi a praticidade, hehe.

Camile Christina disse...

Hoje em dia há quem digite mais do que escreva com lapis e caneta ...

Gabriel Pozzi disse...

Certo dia tive a oportunidade de assistir uma palestra-debate com Luis Fernando Veríssimo, Marcelo Rubens Paiva, dentre outros, e trataram exatamente desse ponto que vc explorou em seu texto. A ausência do papel na vida atual para escrever textos, junto com a ausência dos desenhos na borda, do cheiro, da estética da letra, etc.
Pra ser sincero, não sei dizer se foi melhor ou pior para mim ter crescido já dentro dessa nova era, afinal, embora eu concorde que é chato a tal impessoalidade que encontramos em todos os Times New Romans da vida, ao menos não convivo com esse saudosismo, que pode ser um pouco prejudicial em algum ponto de vista.

Ah, e eu não sei se a Ariane lê os comentários dos posts do Guttwein, mas se estiver lendo, quero agradecer seu comentário no meu blog, e dizer que vc será sempre bem vinda lá, tal como seu namorido que sempre escreve esses ótimos textos ^^

Um abraço para vocês, volto sempre aqui! :)

http://songsweetsong.blogspot.com/

Giovana disse...

Eu morro de saudade de escrever cartas e recebê-las. Morro de saudade de ficar esperando o carteiro aparecer com uma cartinha manuscrita... existe algo que substitua isso?

Não!

Se quiser conhecer o meu blog, giovanagiacomini.blogcean.com

Karen Indignada disse...

Dia desses, com saudades da minha mãe, resolvi escrever uma carta e mandar algumas fotos no envelope.
Eu fiquei impresisonada comigo mesma!
Eu simplesmente não reconheci minha letra.

Fui catar minhas agendas de adolescente num saquinho no guarda-roupa pra comparar as letras. Definitivamente: aquela não era eu!

Olhei pro computador e vi o causador do problema: meu lindo teclado. Fiquei dias pensando nisso, inclusive no fato de minha mãe não saber se era eu mesmo quem tinha escrito. Não serve de nada digitar sem olhar pro teclado se o papel e o lápis não nos reconhecem mais com intimidade. É como perder a fala.





http://desastrososvirtuais.blogspot.com

Paulo Tamburro disse...

GUTT E ARIENE,

EXCELENTE BLOG.

MUITO COMPETENTES !!!


VENHA CONHECER MEUS BLOGS DE HUMOR:

"HUMOR EM TEXTO",

"FOTOFALADA",

e "COMO ERA FÁCIL FAZER SEXO".

LÁ NÃO ENCONTRARÁ PORNOGRAFIA E SIM, HUMOR !!!

UM ABRAÇÃO CARIOCA.

Paulo Tamburro disse...

GUTT E ARIENE,

EXCELENTE BLOG.

MUITO COMPETENTES !!!


VENHA CONHECER MEUS BLOGS DE HUMOR:

"HUMOR EM TEXTO",

"FOTOFALADA",

e "COMO ERA FÁCIL FAZER SEXO".

LÁ NÃO ENCONTRARÁ PORNOGRAFIA E SIM, HUMOR !!!

UM ABRAÇÃO CARIOCA.

beccasanches disse...

Ainda hoje escrevo cartas. Em datas aleatórias ou ditas mais especiais que outras. Ainda compro envelopes coloridos e escolho com cuidado a caneta que levanto.
Minha letra é menos cuidadosa daquela que tinha quando a ansiedade me engolia menos - mal dos nossos dias, mas mantenho a escrita no papel pelo prazer de ser algo atávico. Ainda que eu reserve um tempo diminuto para cultivar a lembrança do século XX.

Conheça o www.cadeiracomabajur.blogspot.com

Wander Veroni disse...

Há uns 10 anos atrás, quando começou essa popularização do PC, eu tinha trauma de digitar. Escrevia primeiro no papel pra depois digitar...rs...hj, nem em sonho faço. Escrevo coisas rotineiras no papel. Mas os textos mesmo, só no computador...hehehe.

Abraço,

http://cafecomnoticias.blogspot.com

Francorebel disse...

Minha letra é bonita, adoro escrever à mão... valeu!

Laurah disse...

Ahhhhh. Pensei q era só eu q ADORAVA escrever em papeis. Adoro rabiscar qualquer coisa, e na maioria das vzs q escrevo meus textos, o faço em cadernos.

E quer ver algo delicioso? VC escrever um texto num papel... e depois de muito tempo encontrá-lo lá... ou em um caderno, coisa q sempre acontece comigo...


Parece q as palavras escritas no computador nao tem o mesmo sabor, a mesma cor do q as escritas no papel...

Murilo ZD disse...

Nasci em uma geração onde a computação tomou conta do mundo em uma velocidade incrível.. tenho só 17 anos e vi o que mudou na vida das pessoas a partir do computador..nunca gostei de escrever, pois tinha uma letra horrível e preferia falar.. com o computador no entanto escrever tornou-se algo que me fascina, então criei um blog para poder expor minhas ideias de um modo irreverente e sem me preocupar com o que os outros pensam, por isso acredito que tenham muitas vantagens no uso da internet. abraço.

UMBELINO disse...

vlw irmão !!
autenticidade pura!!gosto disso!
positive vibes

disse...

Ainda tenho rassuras manuscritas. Gosto...
O papel da agenda, do caderno ou solto em qualquer lugar são meus amigos amistosos.
Mas me rendi perdidamente ao computador e sua tela fria.
Modernidades necessarias.

A maquina de escrever me estressava cada vez que errava uma letra....... arrrgggthhh

rsrsrs
Beijos

William disse...

Cansei de escrever cartas. Principalmente nos anos 70. Já havia a máquina de escrever, lógico, mas adorava escrever com a caneta numa folha de papel. Foram muitas cartas. Com o passar do tempo, me utilizei demais da máquina comum e depois da elétrica. E hoje, quase próximo a meio século de vida e futuro avô, só quero mais é teclar.....
Abraço