sábado, 20 de fevereiro de 2010

Dignitas...

O propósito estava definido há muito tempo. Aliás, tinha até fila de espera para tal, e havia chegado meu momento. Óbvio que sem o apoio da família, ninguém julgava certo ter de fazer tal coisa, mas... Na sua cabeça, cada qual que faça o melhor juízo de sua vida, e para ele, estava mais do que claro o que fazer.

Antes de chegar ao seu atual destino, tentou sem sucesso viagens para Holanda, Bélgica ou Luxemburgo. Para Washington ou Montana(nos EUA) ele também não obteve êxito. Restou então a Suíça. Ludwig Minelli estava a sua espera, por assim dizer... “É um direito Humano” dizia Minelli. Concordo, é um direito meu.

A integridade do lugar parecia inquestionável, talvez daí um dos motivos da escolha. Até o momento,soube de 1000 casos semelhantes ao seu ocorridos por lá. Imagino que, quando eu chegar, serei hospedado em um quarto simples. Quando tudo estiver certo, serei alocado para uma espécie de divisão mais apropriada, onde uma mistura química (inalatória ou não) que neutralizará meus sinais vitais... Imagino nada, sei perfeitamente que assim será. Essa que é a verdade.

Questiono-me se a vizinhança não se rebela contra essa instituição... Está localizada num bairro residencial. Não é porque a legislação do país aceita esse tipo de prática, que a população acaba concordando. Isso eu até compreendo. Não deve mesmo ser muito agradável almoçar sabendo que acontece esse tipo de coisa no seu vizinho.

Segundo o próprio Minelli, apesar da cena ser forte, devido aos violentos espasmos, quem por isso passa, não sente dor alguma. É uma reação do corpo que já se encontra sem vida. A consciência já se foi. Com ela a dor. O resto é espasmo mesmo...

Ter um câncer maligno no córtex nunca foi uma coisa muito animadora em minha vida. Chega a ser esbasbacante falar dessa maneira. Como poderia ser animador? Mas também, do que adianta prorrogar essa dor sem fim. Tem dias que praticamente perco meu juízo de tanta dor que sinto... Coragem para enfiar uma arma na boca e apertar o gatilho me falta também. Por isso dessa escolha. Viajar para a Suíça e cometer o suicídio assistido...
O questionamento que meus parentes fizeram eu não soube responder – Somos meros animais, que procuram o abatedouro mais próximo, assim que a dor nos visita? – Essa me pegou desprevenido, mas ainda assim, segui com minha opção. Cada um sabe a medida de sua força diante da sua dor... Por gentileza, joguem minhas cinzas ao mar...
Guttwein, T.


Além do que se vê...

Nossas postagens via FEED no seu email!

59 Opiniões:

Macaco Pipi disse...

ISSO É REAL?

. Yuri Barichivich disse...

Gostei muito do texto. Me lembra o que um de meus amigos escreve, realmente gosto muito. Meus parabéns ;D

htp:://verball.com.br

chris disse...

sempre legais teus textos, tratando de assutnos atuais e por vezes... polemicos... a questao da eutanasia, varios filmes trataram desse assutno, que eu me lembre" invasoes barbaras" e a peça" os sete afluentes do rio ota", no primeiro o personagem acometido de um cancer despede-se dos amigos num chale a beira de um lago no canada! no segundo um rapaz com aids realiza uma festa antes de cometer eutanasia na holanda!
realmente temos o direito? nao sei, mas acredito que tenhamos o direito de morer com dignidade... uma pessoa consumida, corroida pela doença , numa situação indigna , merece escolher como morrer... acredito !
Ibere
http://ibererestivo.blogspot.com

Henrique Alvez disse...

Um belo post...chocante eu diria
é muito legal a maneira com que vc prepara o campo para o final do texto, e como esse vai se desenvolvendo com uma fluidez absurda =DD

mt bom

http://baudopascacio.blogspot.com/

Leo Pinheiro disse...

É claro que a sua crônica do suicídio me remete ao filme 'Mar adentro', com Javier Badem.

Achei marcante as histórias (tanto do filme quanto a sua), mas sou contra a eutanásia.

Não conseguiria fazer nem com um cachorro (como em 'Marley e eu'). Não (só) por questões sentimentais.

Mas pq creio que sou muito pequeno para decidir sobre vidas - exceto de baratas e moscas...rs

É isso.

Quanto a sua resposta no meu blog. Não é questão de se admitir o turismo sexual no carnaval ou fingir que não existe. Porém...

No espaço de um post não dá para relativizar todos os tópicos constantes no carnaval. Ou seja, não vem muito ao caso.

O mote é:

Eu acho uma atividade econômica séria e lucrativa. Há quem ache o contrário, afirmando ser um deserviço social.

Qual é a sua opinião?

Realmente polarizei entre esses dois pontos. Muitos discordaram de mim.

E isso não é o menor problema.

A questão não é fazer palanque para um lado ou outro. Mas chamar atenção para o tema - ignorado até pouco tempo atrás.

Abraços, Leo Pinheiro

Sanm - Santiago disse...

muito bem escrito, gostei mesmo, parece até real. Favoritando.

Ramos disse...

O texto é envolvente e psiquico... faz agente se colocar no lugar. Isso é impressionante, assustador mas impressionante!

Parabéns!

Blogueiro Livre disse...

TEXTO PERFEITO!!!!

A angústia da personagem fora retratada com intensidade.

Suicídio assistido? Para quem está de fora, como todas as outras questões, é fácil julgar...

De início, creio que a vida vale muito mais a pena do que a morte, o fim. Todavia, a dor, a angústia e muitos outros sentimentos podem ser muito mais maléficos do que simplismente deixar de existir.

Cada caso é um caso, e somente cada um pode dizer o que é melhor para si.

Stivie Sena disse...

muito bom o texto
soube descrever mto bem o fato.
e falou sobre um tema atual
mas nem tão 'abordado' assim
eu sou de opnião que por maior que seja a angústia,não da p/tirar nossa propia vida
mas..
cada 1 é cada 1 neh

Carol Winchester disse...

Adorei, impactante, sei lá, sem palavras. *-* Muito bom!

kilder disse...

faz muito tempo que aqui nao venho, e está com um ótimo texto! muito bom...
boa sorte.

Félix Maranganha disse...

Lindo o texto! Escreve muito bem, cara!

Wander Veroni disse...

Olá!

O texto traz um debate interessante sobre a eutanásia. Será que somos capazes de acabar com a nossa própria vida diante de uma doença sem cura? E os nosso famíliares, devem respeitar esta decisão? Tema bastante polêmico. Particularmente, acredito que cada caso é um caso. mas, de um modo geral, se for para aliviar a dor, sou a favor da eutanásia.


Abraço,


http://cafecomnoticias.blogspot.com

simone vauna monteiro disse...

adorei o texto!
muito bom mesmo,faz com que agente queira ficar aqui e ler todos os outros!
bjuusss
sucesso...

Christian Vinicius Bazyl disse...

muito bom o texto

Lôoh Toledo disse...

seus textos comos empre muito interessantes, de assuntos muitas evzes desconehcidos, e outros bem atuais, e sempre fascinante lê-los.

gostei muito deste assim meio dificil de comprender, e que devo ser meio burra, mas ta tudo muito bom parabéns, e eu amei a farse do final *------------*

Rogerio disse...

uma morte...na suiça;;;morte de 1 mundo...texto muito bom...

Teen Secret disse...

Ameei o blog...
Parabéns (y)

O Pinto Louco disse...

Nossa muito bom o texto, deve ser horrivel ter cancer. e mais horrivel ainda o que ele fez, entendi o texto ele já nao aguentava mais, mais mesmo assim a pessoa indo viajar pra morte dela deve ser horrivel!

V disse...

"A ideia do suicídio é uma grande consolação: ajuda a suportar muitas noites más."

Vc acredita nisso? Ou será que o poder de se suicidar do seu personagem só o angustia mais, porque mostra como, apesar de poder, ele não consegue se matar, por falta de coragem? Além de doente e miserável, um covarde.

Abraço!

Bruno (Binão) disse...

Nossa muito bonito o texto, chegou a me deixar um pouco chocado até , muito bom mesmo ..

aam-00 disse...

O suicídio é a válvula de escape dos fracos, não creio q seja solução para nada.

o e-mail é : aam-00@hotmail.com

Ridan disse...

Eu também acho que o suicídio não é uma opção, por pior que esteja continue tentando, e se acontecer como no texto, aproveite o tempo que tem.

TAIS MOREIRA disse...

Nossa!! Viajei legal nesse texto, ficou bacana!! Meio confuso, mas bem profundo!!hehehehe
Parabéns pelo blog, gostei!
Beijos

Jim Anderson disse...

texto bom, eu tambem pergunto, isso é real ?

José Sérgio Bechler disse...

Opa! Acabo de conhecer este espaço, ainda não li os trabalhos anteriores de vocês, mas gostei muito do que vi até então. São poucos os blogs que realmente apresentam algum conteúdo, e posso dizer que o "Além do que se vê" foi uma bela descoberta. Mantenho um blog dedicado a contos, se quiserem dar uma conferida estou aqui: www.sarapatelpsicodelico.blogspot.com

Vou lincar vocês lá, o que é bom tem de ser divulgado mesmo.

Abraços!

Caio Gomes (CCG) disse...

caraca, que texto é esse meu irmão
cada um carrega a sua cruz e, mesmo que seja pesada, acho melhor esperar até o momento certo da partida
um suícidio não é a saida pra tudo, falo isso por que já perdi amigos por suicidio
mas, no caso de dores profundas, não sei como seria minha reação, mas, suicídio acho que também não é a saida
mas
texto excelente
parabens mesmo
excelente blog

Caio
http://www.rockexpressao.com/

Maria Clara dos Santos Batista disse...

Adorei seus textos, e seu blog também.
Meus Parabéns.
Desde já te sigo.
Abraço,
Mª.
http://leiaoqueeuleio.blogspot.com

embaixodocobertor... disse...

Muito bons os seus textos como sempre. Gosto muito de seu blog. Sempre com assundo polemicos e que fazem a gente pensar. Bjão

- Parabéns

By: Laura

Naya disse...

Gostei muito do texto! Também não concordo com esse tipo de coisa, mas fazer o que? Acho que cada um deve responder por seus atos e desejos ...

Abraços!

/certascoisas-tgts disse...

OOI,qq leegal seu blog *--*
To divulgando o meu,;D
ele ée nenem ainda ;ss
vai la depois?*-*

Bjaaoo ;*

. Yuri Barichivich disse...

Gostei muito :D
Como já havia dito;

http://verball.com.br

Juliana Carla disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Juliana Carla disse...

********************************************

CONVITE:

*** FESTA VIP! ***

Bom dia amigos

Gostaria de recebê-los para fazer um brinde especial!
Onde: braille da alma.
Horário: durante o dia todo.
Data: 21/ 02/ 2010

Ficarei feliz com sua visita... Ah! Na saída não se esqueça de levar contigo um lindo selo de lembrança desta celebração.

Bjuxxx e xerooo amigos.

Juliana Carla
brailledalma.blogspot.com/


********************************************

João Gabriel Pontes disse...

É impressionante como seus textos são tão interessantes e, acima de tudo, atuais. Meus parabéns!

Pobre esponja disse...

Ótimo texto, nossa...
Não acho que é polêmico, ou triste: é real, é a vida (e a morte).
O suicídio é triste, mas a dor é a dor...mas não recrimino quem o faz, apesar de não achar o melhor caminho.
A Eutanásia, por exemplo, eu acho que é um direito do paciente.

abç amigos
Pobre Esponja

. Yuri Barichivich disse...

Como te disse no meu blog, realmente são poucos que leêm tudo. Mas os poucos que realmente leêm valem a pena. Pouco a poucos vamos conseguindo leitores fiéis.

Bem, vou deixar meus contatos aqui.

Twitter - @Barichy
Msn - yuri.demon@hotmail.com

Case queira conversar mais ;D

Verball

Gabriel Pozzi disse...

Show!
Como sempre, com um texto narrativo bonito, consegue levantar uma discussão interessante em seu blog.
Talvez seja a terceira discussão polemica que entro aqui, vejo essa como a mais interessante.

Eutanasia.
Não sei dizer ao certo se apoio ou não, e nem por isso, me considero alguém sem opinião. Suponho que ninguém possa ser Deus para decidir o destino de uma pessoa aqui, na Terra. No entanto, temos o livre arbitrio de, teoricamente, decidir o destino de nossa propria vida. Vejo que, ao menos pela persona desse texto, não há irregularidades, foi um destino escolhido por ele mesmo. No entanto, mais complicado é o caso de pessoas em estado vegetativo, por exemplo, que não podem dizer se preferem a morte ou não...
Enfim, isso dá assunto!
belo texto ^^

http://songsweetsong.blogspot.com/

Will disse...

Ah, não somos "qualquer" animal... E a dor visita a cada um e somente a cada um. Que julgue quem não provou do cálice. Sempre me questiono sobre este direito: o de saber que que se acabou! É certo negar ao homem o direito mais humano que se pode ter: o de ser ou não ser? Vou seguindo teu blog...

ffffffff disse...

amei seu blog, você escreve suuuper bem (:

Paty Garcia disse...

Seu comentário no meu post lá no Verball me tocou, e vim interessada por esse blog. Já foi uma ótima primeira impressão.
Além disso, o Yuri já tinha comentado que este era um blog muito bom.
E tanto minha primeira impressão quanto o Yuri estavam certos, e não me decepcionei. Li este post, e gostei tanto que continuei lendo os mais antigos. Os textos são realmente muito bons.

Vocês ganharam (mais) uma fã :)

Verball

Metal Mind disse...

Suicídio, ainda que indireto.
"Ei, não aguento mais sofrer, tenho uma arma carregada e não tenho coragem de atirar.Você atira em mim.Vai doer, mas logo não vou sentir nada".
E em outro lugar do mundo, alguém que passou semanas sob escombros após um terremoto, vê a luz do dia novamente.
Não somos capazes de explicar de onde vem a vida, como poderíamos saber que destino damos a ela quando a tiramos antes da hora?
Excelente texto.
Ótima semana, até a próxima visita.

Guilherme Lombardi disse...

suicidio é sempre polêmico, muitas vezes o cara que comete esse ato não encontra outra maneira para resolver seus problemas ou amenizar suas angustias e dores. É muito mais do que pensar somente em covardia e etc.

. Yuri Barichivich disse...

Como já comentei em praticamente tudo aqui, vim deixar um recado ;D

Coloquei seu blog nas refêrencias do meu blog, se quiser chegar, está lá Gutt.

Verball
Siga-nos no @blogverball

infinityxp disse...

caracaaa, muuito bom o texto. adorei mesmo. parabens, sempre falando de temas do dia a dia.

vai no meu?

Edu Ribeiro disse...

Eu sempre digo, prefiro viverna pior do que passar desta pra melhor.

Mayna disse...

O texto é muito envolvente. Fiquei alucinada para saber como terminaria.

Muito bom mesmo!

Rodrigo Neves disse...

Muuito boom o texto , ameii de verdade , não so o texto como todo o blog.

beijõos!

Beatriz disse...

Favoritei esse texto e tenho certeza de que ainda o lerei muitas vezes!

A dor se confunde com a dúvida... Já passei muito por situações desse tipo, onde a gente só quer que tudo acabe, que passe, que mude...
A solução, clichê ou não, é o tempo.

Adorei!
beijos

http://pleasetakeasit.blogspot.com

Carolina Quirino disse...

Resolvi dar as caras por aqui... E quer saber, sinceramente? Estou impressionada. A leveza ao falar de um assunto tão sério são qualidades de poucos.
Acabei lendo os outros textos e ganhei sábios minutos de sabedoria...

Falando sobre o post, penso que cada um sabe o que faz com a sua própria vida. Porém, muitas vezes são atos de desespero.
Recomendo um livro chamado "A balada da lua azul". Parece ser bobo, porém, subliminarmente, trata da eutanásia de uma maneira séria. E, mais uma vez, parabéns pelo(s) texto(s).

Sobre seu comentário no meu blog... o único motivo do template verde é que o futebol é, muitas vezes, associado ao verde. Mas o meu coração, continua, como sempre, vermelho preto e branco.

Leo Pinheiro disse...

Não ser ou ser, eis a questão!

Chico de Assis disse...

É realmente; cada um sabe a medida de sua força diante da sua dor.
- Faço uma analogia dessa frase com uma música do músico brasileiro-alagoano Djavan, quando diz:
" sabe lá o que é morrer de sede em frente ao mar "
- Olhe amigo; há momentos em que o corpo está de pé e a alma está de joelhos ".
Abrços do nordeste do Brasil.

baobah disse...

Texto ótimo, como tudo por aqui, sempre. No final eu quase chorei, senti a dor do personagem em mim, uma dor insuportavel que fez co que ele quisesse morrer.
Parabéns!

Beijos
http://minidesastres.blogspot.com/

kbritovb disse...

isso eu não faço nem fudendo

jpfox8 disse...

Quando a dor se torna insuportável e irreversível, o ser humano se entrega e desiste da vida. É difícil de aceitar, mas o ciclo deve chegar ao fim, forçado ou não.
Até mais,

Garoto Mal Intencionado. disse...

Suicídio é uma questão forte. As religiões condenam tal ato, dizem ser o corpo, um templo e que não devemos violá-lo. Mas se o ser humano decide acabar com a própria vida é porque já não aguenta mais. Lembrei de uma música da Pitty chamada Saída de Emergência. "Se é coragem eu não sei". "Depois do erro a redenção."Eu não entendi muito bem esse processo de Suicídio Assistido.

Ká.Entre.Nós disse...

Depressão , suicídio e Cancêr são as doenças do século.
O Pai do meu filho morreu de cancer, mas lutou até o fim.

Tatiana disse...

Não acho que alguém precise viver, numa vida na qual não está feliz, com poucas perspectivas de felicidade e coragem para alcançá-la, simplesmente por que se acredita que a vida deve ser mantida a qualquer custo. Eu acho que a escolha da vida é uma coisa muito pessoal, mas que nem por isso ela deve ser uma escolha influenciada por pressões externas e momentos breves. Aquele que possue a vida deve valorizá-la de maneira tal que não a troque por migalhas e saídas aparentementes mais fáceis.

mulherices disse...

Muito difícil de julgar.

Mas acredito que diante dessas circunstâncias, optar por uma morte digna nem pode ser considerado "suicídio". E acredito que cada indivíduo seja, de fato, dono de sua vida.

Gosto muito desse blog.